5 Things I love // Thursdays

Chegou mais uma Quinta-feira solarenga... Na Nebula temos as ventoinhas todas ligadas, e nem isso ajuda a expulsar o calor deste forno!
Chegámos a Agosto, e para variar, estou branquinha que nem cal da parede... as férias vêm aí (Açores!) e espero conseguir ganhar um aspecto mais saudável!
Até lá... ficam mais cinco coisas que gosto, desta vez, sem tema, e bem ao acaso... para aqueles que trabalham na LX Factory, e que também não aguentam este calor, lanço o desafio de passarem aqui pelo Edificio 1 - Piso 1, espaço 1.11 (na Nebula), para irmos comer um gelado aqui abaixo no Chefe Nino! Fica o desafio e o convite de companhia***!

5 Things I Love 
**Thursdays***
#1
O Rissol Feijão, e o Xamuça Empadão!








São os meninos dos meus olhos... O Rissol já tem um ano e meio, e o Xamu apenas quatro meses. Foi uma adaptação muito rápida, e são os melhores amigos. Para mim, que não tenho filhos, sinto que é o mais parecido... não vou a lado nenhum sem eles, e ai de quem lhes meta a mão em cima...

#2
As mensagens que os meus colegas me deixam...




Ser a única rapariga numa empresa é super giro, mas também dá nisto! Uma imagem de um homem de rabo espetado (para me dar inspiração, dizem eles), e um chapéu do Nodi, a dar-me as medidas do.... carro dele... ou do chapéu... enfim, soa mal de qualquer maneira! Obrigada, malta :)

#3
Tennis Sanjo






   


 Enquanto trabalhei na Benfica Tv tive a sorte de ser patrocinada pela marca. Não só adoro os tennis, como tenho a sorte de ter todas as cores. Eles estão de volta, e eu estou apaixonada!

#4
Tchai!






É só o meu chá preferido... provei pela primeira vez quando fui à Índia (viagem da minha vida) e bebo quase todos os dias (a não ser que esteja calor como hoje).
Faz-me lembrar as minhas aventuras, os cheiros, as comidas, as pessoas. Tenho planos de voltar para o ano que vem...

#5
Recipe of Life*

Esta foi a curta com que a Nebula concorreu este ano no 48h Film Festival. Foi-nos dado o nome da personagem (Carla Bengala), a sua profissão (professora, ou simplesmente a ensinar qualquer coisa), um adereço obrigatório (colher de pau), frase obrigatória (Keep your word) e um género (fantasia).
Em 48 horas, foi nisto que deu. Sim, tem erros, sim, tem um frame a negro, sim, podia ter arranjado tudo para depois postar aqui na internet... mas acho que a piada está em ter o filme com os seus erros naturais de 48 horas para criar a história, gravar e pós-produzir. Todos os outros os tinham, e o nosso não foi excepção. Ainda nos valeu melhor trailer (que depois posto), melhor guarda-roupa, e melhor edição (sim, é verdade, é mesmo verdade).
Espero que gostem!

                                      

Esta história surgiu de uma grande perda que eu sofri. Apenas duas semanas antes do festival faleceu a minha melhor amiga, a minha avó Luisa. Uma das maiores mágoas que guardo desde então é o facto de eu nunca ter deixado espaço para que ela me contasse a história da sua vida. Com o passar dos anos, fui aprendendo que a vida dela foi muito dura, e que relembrar certos episódios a deixava muito triste... Sei até, que ela sempre achou que nunca tinha sido realmente feliz. Sempre tive muita curiosidade, mas como ela era muito nova (67 anos!), sempre achei que tinha mais que tempo para aprender o que tinha para me contar... mas azar dos azares, uma embolia pulmonar roubou-a de mim.
Durante os dias que se seguiram, sonhei com ela constantemente, e o sonho era sempre o mesmo: Nós as duas, na mesa da sala dela, a beber chá. Sempre que ela me dizia "É hoje que te vou contar a história da minha vida...", eu acordava.
Chegados à altura do festival de cinema, cheguei a pensar em não participar. Estava muito triste e sem ideias. Pouco a pouco, veio-me à cabeça uma forma de retribuição e homenagem por todo o amor que recebi. Ia contar a nossa história...
Assim, a jovem menina, representa-me a mim, e a avó... bem... digamos que nunca vi pessoa fisicamente tão parecida com a minha avó como a José Tayler (actriz). Aqui, a avó passa o maior testemunho de sempre à sua neta... ensina-lhe como atingir a felicidade (algo que nem a minha avó Luisa sabia como alcançar), e mostra-lhe o quão difícil isso pode ser... tudo numa forma bastante fantasiosa claro.
No final, a Eva (a actriz), atingiu o objectivo que eu nunca vou conseguir...
Num misto de história pessoal, com bolos e doces... Obrigada, Nebulásticos, por terem entrado nesta história que é tão minha, e terem-na feito tão nossa. O peso ficou menos pesado. Obrigada por lhe terem  dado o vosso toque tão especial.


Tenho de voltar ao trabalho... fica ainda de pé o convite para o gelado!
Beijinhos e feliz quinta-feira!

Share some love & Leave a Comment!

2 comentários:

  1. Estão girissimos os gatos!! Só mostra que o Xamú está muito mimado o que é muito bom!!!

    Quanto à tua avó..as pessoas têm sempre aquela ideia estúpida de que as pessoas estarão cá sempre e não nos lembramos que quando menos esperamos podemos deixar de as ter! Tu que gostas tanto de escrever histórias podes sempre fazer uma em homenagem a ela através das fotografias da vida dela.

    Ser a única menina no grupo realmente sabe bem! Beijinhos para eles*

    Beijinho e força =) se precisares de alguma coisa diz!

    ResponderEliminar
  2. Ufff... pronto, já passou.

    A vida é feita de pequenas coisas e, pequenas grandes coisas...

    ResponderEliminar