Um post bem encarnado :)*

Hoje de manhã, acordei, e ainda antes de vir para o trabalho, decidi dar um pulo no blogue.
Tento não dar muita importância ao contador de visitas, mas desta vez, vi algo que me intrigou…


O site serbenfiquista.com estava a ser fonte de tráfego para a minha página, e fui descobrir porquê.
Quando lá cheguei, reparei que tinha benfiquistas a falar de mim, e que se lembravam do meu trabalho enquanto jornalista na Benfica Tv.




Fiquei contente com os elogios e fiquei a pensar nisto até agora: Na minha festa de despedida da Benfica Tv, com todos os meus colegas, chefes, e amigos do estádio, contei a história da minha chegada a este posto de trabalho… no entanto, nunca a partilhei com mais ninguém fora desse mundo. Foram quase três anos de muita emoção e de muita amizade… presenciei taças e vitórias de campeonatos nas modalidades, estava lá quando fomos campeões nacionais, cresci muito, e isso fez-me pensar que sou muito grata por ter passado por esta aventura.
Não, não fugi, nem deixei o Benfica fora da minha vida... Sei que vou ser deste clube para sempre, mas não preciso de trabalhar no mesmo espaço para me manter devota…
A vida dá voltas, e tenho ainda muitos objectivos pela frente que quero cumprir. Vou contar-vos a minha história de forma bastante resumida, mas espero que preencha os mais curiosos sobre o meu paradeiro, e que surja também como forma de agradecimento àqueles que se lembram da minha presença pelo estádio, e que nunca souberam porque saí, ou sequer como entrei.
No 3º aniversário da Benfica Tv, fiquei muito feliz também com o comentário do Director Ricardo Palacin, quando me mencionou a mim, e aos meus queridos amigos que como eu já partiram para outras aventuras. Longe mas perto, segundo ele, ajudámos a criar o que se vê hoje, e vamos sempre fazer parte desta história.
Obrigada!



Há cerca de três anos atrás, tinha eu 22 anos, quando concorri para um novo canal que ia nascer.
Quem me tinha falado disto, tinha sido o meu pai… o maior Benfiquista que conheço. A minha formação em Jornalismo e em pós-produção adaptava-se, e ele insistiu que eu me apresentasse.
“Não quero, pai… sou menina… eles devem querer rapazes por lá. E nem sou a maior craque do mundo em futebol. Para além do facto de que não quero ser jornalista”. – Dizia eu.
“Concorre na mesma. O não tens sempre!”.
Concorri, e depois de 4 entrevistas, fiquei como editora de video. Estava radiante! O que eu editasse seria visto por milhares de Benfiquistas, e estava finalmente na minha área de formação.
Quando entrei para a Benfica Tv, fui recebida por uma equipa já praticamente formada. Fui das últimas a chegar, e lembro-me de ser bem recebida por todos. Todos estavam a ter formação já há cerca de 4 ou cinco meses (espero não estar enganada), e por isso já se conheciam bem.
Fui-me adaptando com a equipa técnica. 
Mal punha os pés na redacção, e criei um núcleo giro de pessoas com quem me dava diariamente. Os jornalistas, que mais tarde viriam a ser meus amigos do coração iam aparecendo na minha sala de edição para ajuda em peças jornalísticas e programas, e a nossa interacção passava só por aí.
Um dia, num final de tarde a um mês da abertura do canal, fui convidada para fazer um teste de imagem no estúdio, a ler no teleponto. A minha formação realmente tinha sido em Comunicação Social, e ao que parecia, estavam a estudar várias hipóteses dentro da redacção, para pivots e jornalistas.
“Vais ali à maquilhagem, e depois apareces no estúdio, está bem?”
“Sssimm…” - respondi sem perceber o que se passava. Não fui à maquilhagem. Esqueci-me, e sempre fui um pouco maria-rapaz nestas coisas. Acho que nem nunca tinha sido maquilhada antes, e para mim, era algo que não se adequava às minhas roupas mais confortáveis e tennis do dia-a-dia.
Fui para estúdio, e li uns textos. Foi rápido e indolor.
Saí do estúdio directamente para a minha sala de edição, arrumei as minhas coisas e fui para o carro.
No carro, o telefone tocou, e tinha o convite para passar à redacção. Disse que não sabia se devia, que não me sentia preparada para tal responsabilidade, que todos os outros já tinham tido formação em futebol e modalidades e que eu estava um pé atrás.
“Tens de decidir agora. Queres ou não queres?”
Aventura. Cá estava ela a surgir de novo… tremi, comecei a transpirar e pensei, “what the hell, vamos lá”. Ganhei coragem e disse “sim”.
“Então até amanhã. Começas na redacção e vamos arranjar-te um posto”.
Lembro-me perfeitamente de desligar o telephone e de ir a chorar até a casa. O que é que eu tinha acabado de fazer? A minha vida daria uma volta gigante. De uma simples sala de edição, passaria para cameras, luzes, preparação de conteúdos desportivos, apresentar coisas!?
Eu não podia estar boa da cabeça. Liguei ao meu pai e chorei até me secarem os olhos. Contei-lhe tudo, e de como estava cheia de medo. Medo de me dar mal, de falhar, de envergonhar alguém, de me envergonhar a mim, de não ter postura, de descobrir que afinal não sabia falar nem escrever.
“Descansa… tu sabes que consegues, dizia o meu pai.”
No dia seguinte confessei que era fraca em conteúdos futebolísticos, mas também prometi que aprendia depressa (e assim foi!).
Ganhei um computador na redacção e via ao longe a minha antiga sala de edição. Estava na hora de socializar de novo, e de me colar a alguém que me fizesse sentir mais em casa, no meu posto novo. Assim foi, e não foi complicado.
Começaram os treinos, as leituras de telepontos, as peças a um ritmo incansável. Faltava um mês para abrir o canal, e eu sabia que já estavam a planear coisas. Eu nunca seria chamada. As minhas colegas estavam em formação há meses, e eu estava ali há dias na redacção.
Quase no dia D, descobri que ia fazer alguma coisa para a abertura. Disseram-me que era simples, e que não ficasse nervosa. 
Estava na altura da "Extreme Makeover: Saíram os tennis largos, entraram sapatos, saíram as calças de ganga e entraram fatos patrocinados que eu nunca tinha vestido na vida. Não era o meu estilo, mas era uma aventura gira.
“Ana, vais fazer o Benfica 10h no dia 10 de Dezembro”.
“Ufa!” – Pensei eu. São só 20 minutos no ar. A Bárbara vai fazer uma hora de Em Linha… Já me safei e não vai custar nada. Nem matutei mais no assunto. Estaria despachada em 20 minutos.
“Ana, parabéns! És tu que vais abrir o canal, hein!?”
“Hey, Ana, acabei de saber! Parabéns, vais ser a primeira cara do canal, hmm?”
Eu ia ser o quê? Como? Quando? Hã?
Fechei-me na casa de banho. “Respira, Ana… respira!” Eu podia estar no ar por apenas 20 minutos… mas estava a esquecer-me de que seriam talvez os 20 minutos mais vistos dos últimos tempos!
Liguei para o meu pai, a achar que não ia conseguir. Ele veio de Faro e ficou comigo. Na noite anterior, fomos experimentar o meu fato novo, e ele levou-me ao cabeleireiro. Falámos de futebol e repondi a mil e uma perguntas de cultura geral. Agora só faltava tentar dormir bem.
No dia seguinte, fui pela primeira vez maquilhada à séria. Estávamos todos nervosos na redacção. Eu pessoalmente, uma pilha de nervos.
“Ana, só tens de ler o teleponto e tentar não te engasgar!” – pensava eu comigo mesma.
O meu pai estava no Wellness club do estádio, e eu sabia que ele ainda estava mais nervosa que eu.
As luzes acenderam-se, e levei um beijinho de todos os que estava em estúdio. Ia correr bem. E correu.


Pode ser estranho estar constantemente a falar do meu pai. Nesta história falarei de outras pessoas da minha família que me são chegadas e que contribuíram para que nunca me fosse abaixo, e para que as minhas energias se mantivessem sempre positivas. Dizem que tenho complexo de Electra, e talvez seja até verdade. O meu pai é tudo para mim, e não dou um passo sem que ele saiba. Pode até nem concordar, mas é sempre o primeiro a saber.
Lembro-me de quando fui escolhida para apresentar a minha primeira emissão especial de futebol. Foi ele quem ficou comigo a preparar as 3 horas em estúdio. A Benfica Tv preparou-me em questões desportivas, mas tudo o que sei de futebol que possa ser utilizado em termos práticos e numa conversa normal, veio do meu pai.
Nos dois anos e meio que fiquei na Benfica Tv, usei sempre aquele primeiro plano como referência de preparação para as seguintes emissões especiais.


Quando comecei a relaxar no meu posto e a sentir-me confiante, comecei a receber também os frutos daquela profissão dentro do mundo benfiquista: o amor dos sócios e adeptos! Quem vê o canal sabe certamente quem é o senhor Alberto Soeiro, que liga para o Em Linha, o senhor Joaquim Castro com o seu museu particular, o João Gomes que tantas vezes vi no Norte enquanto seguia as modalidades, a querida dona Hermínia que nos cantava em directo, ou a dona Bina Ferreira que me encheu de beijinhos sempre que me viu. Como eles, muitos outros existem, e que embora não nomeados, estão no meu coração.





Passei por muitas modalidades e ganhei um carinho especial à Ginástica, aos desportos de combate, ao basquetebol, e claro, depois das modalidades, às Casas do Benfica.
Estes foram os programas que fiz enquanto na Benfica Tv, e quantas aventuras tenho cá dentro! Ficaríamos aqui uma eternidade!
Lembro-me de ter ido para a Suíça com a equipa dos desportos de combate e de me ter magoado numa costela durante a viagem. Tive de ser vista pelo médico dos atletas na casa de banho… lembro-me de no basquetebol, o professor Henrique Vieira me ter dado a taça de campeões nacionais para as mãos e de me ter dito que ela também era um bocadinho minha…



Lembro-me de um dia ouvir dizer “olá Ana Luisa!”, de me virar e de ser o grande Rui Costa a cumprimentar-me, quando eu nem sabia que ele sabia o meu nome. Lembro-me de todas as viagens de ida e volta das Casas, em que regressava sempre para a redacção carregada de prendas humildemente oferecidas pelos adeptos, que nos achavam tão especiais e queridos. Nunca soube como lhes agradecer, e ainda hoje não sei. A forma como fomos sempre tão bem tratados deixava-me com uma lágrima no canto do olho sempre que ia embora. Lembro-me de estarmos exaustos na Casa do Benfica em Gaia, prontos para regressar para Lisboa à meia noite, e de sermos desafiados para uma competição de matraquilhos à qual não resistimos. Claro que perdemos sempre… mas deu para as gargalhadas. Lembro-me até, de ter criado uma pequena batalha com o bolo de aniversário da casa. Já estávamos todos cheios de bolo no final, e eu nem conseguia passar as mãos pelo cabelo.
Lembro-me da feira Medieval em Celorico da Beira no dia do aniversário da casa, em que o Presidente me arranjou um vestido medieval para dar um toque especial ao programa; das provas de vinhos em Mortágua… enfim! Nem sei por onde começar!





Viagens inesquecíveis e pastas e pastas de fotografias.
Lembro-me de vermos chegar e partir atletas de alto gabarito...


 Lembro-me do David Luis himself ter ido à redacção despedir-se de nós com o carinho que lhe é característico. Pediu-nos desculpas por qualquer coisa que nos pudesse ter dito ou feito, e que gostava muito de nós.
É claro que nem tudo é magia… mas qual é o emprego que tem magia a toda a hora? É óbvio que me custava imenso o horário da manhã, chegar a casa tarde e ter de acordar cedo… tivemos episódios bons e alguns maus, como em todos os trabalhos.
Mas depois, chegados à redacção, há sempre alguém com uma história para contar, há sempre um motivo de brincadeira… Que grupo giro!
Posso contar-vos outras coisas e outras aventuras um dia destes… para já, e porque referi que ia mencionar mais alguém da minha família neste post, começo agora pelo meu avô António...
Benfiquista ferrenho e que teve a brilhante ideia de me fazer sócia quando nasci. Para o ano que vem, lá estarei para receber a minha águia de prata! 25 anos de sócia! É claro que faço questão que ele venha comigo, e vou encher-nos de fotografias, aproveitar para rever pessoas especiais como os colegas e o grupo do Orfeão! Tão queridos que eles são… a dona Lourdes está lá desde o começo e sempre me tratou com tanto amor que eu costumava chamá-la de mamã do Benfica.
Termino fazendo uma nota à minha querida avó, falecida em Fevereiro deste ano: se havia coisa que me deixava envergonhada, era quando ela decidia ligar para o Em Linha quando eu estava em estúdio. Toda a gente percebia que era a minha avó, e eu ficava sempre corada. Chegou até a ligar mais do que uma vez para um programa, com nomes falsos. Eu chegava a casa e dizia-lhe que não podia ser assim. Ela dizia-me a mim: “Quero que saibas que te estou a ver, e que gosto muito de ti”.
Eu sabia disso… mas parece que nunca damos a importância desejada, não é? Lembro-me de lhe dizer que não precisava de gravar todos os meus programas. Ela nem os revia.
"Mas eu gosto de ter tudo o que fazes. Não te esqueças de me mandar mensagem sempre que fores para o ar."
A minha fã nº 1… :)
No último dia que ela ligou para um Em Linha, fez questão de deixar bem assente que seria a última vez. Na despedida, disse em directo qualquer coisa so género “Queria também deixar um grande beijinho para a minha neta… que és tu! Amo-te muito minha linda, minha princesa!”.
No dia, fiquei envergonhada e nem sabia o que lhe dizer… Não vemos destas coisas noutros programas… e como é que esperavam que eu me tornasse mais profissional com a minha avó a mandar-me beijinhos em directo?
No dia 23 de Fevereiro mandei-lhe uma mensagem a dizer: "Avó, hoje faço o jornal das 21h". Achei estranho ela não me responder.
No dia seguinte soube que tinha falecido, e o meu mundo foi-se abaixo.
Que sorte que ela gravava os meus programas. Estou doida para ir a casa dela em Faro este Natal… Vou ligar a televisão, e a minha prenda vai ser ouvi-la a dizer “Queria também deixar um grande beijinho para a minha neta… que és tu! Amo-te muito minha princesa!”. Vai ser a prenda perfeita.
Não vou encerrar esta temática por aqui. Um dia contarei outras aventuras giras… mas realmente, o site serbenfiquista hoje fez o meu dia, e fez-me ter vontade para vos contar estas histórias.


Foto de grupo do meu jantar de despedida


Aniversário do meu coleguinha Luis Pedro Ribeiro


Festa de Natal do Benfica. Nós com o Mister. :)

Hoje em dia estou numa nova aventura! Fui convidada para fazer parte de uma empresa que se está a lançar no país e além fronteiras no mundo do 3D ( a Nebula)… o facto de ser tão jovem dá-me outro incentivo refrescante! Tudo o que eu ajudar a construir aqui, também vai ficar nesta história.


Pediram-me para criar uma marca nova dentro da empresa, e foi assim que nasceu a irmã mais nova da Nebula, a Diffuse, da qual sou produtora executiva. Está a ser um desafio aliciante e eu não poderia estar mais satisfeita.

Vamos crescendo com os nossos erros e com as nossas batalhas, e eu sinto que cresço a cada dia que passa! Não sei se esta aventura será para sempre ou não, mas é bom que seja boa enquanto dura, tal como a minha passagem pela Benfica Tv o foi. Não disse adeus a ninguém, apenas um "Até já"! 
Até porque o Benfica continua a jogar, e eu continuo a ver toda a gente dentro e fora do estádio.
Deixo o agradecimento e homenagem aos que gostam de mim, e aos que apreciaram o contributo que gosto de pensar que dei ao canal. Foi lá que fiz amizades para a vida, e onde até conheci o meu companheiro de aventuras, namorado, com quem partilho o calorzinho de um abraço sincero.

Fica o meu primeiro portfólio... estes foram os meus primeiros 6 meses de Benfica Tv!



Até já, e saudações benfiquistas!

10 comentários:

  1. João Marcos Marchante19 de dezembro de 2011 às 23:41

    Gostei muito, miúda. És especial e por isso estás connosco! *

    ResponderEliminar
  2. Adorei este post querida. Mesmo. Lágrima no canto do olho, confesso. Quem me dera um dia vir a ter um percurso profissional, e n só, com metade das coisas do teu..

    Beijinhos gigantes

    Gosti*

    ResponderEliminar
  3. Fantástico post! (best post ever) :)
    O teu percurso profissional é muito bom, agarra-o bem, parece-me que estás no bom caminho. Gostaria de poder um dia falar de um emprego como tu falaste do teu agora, acredita que és uma sortuda nesse aspecto, já passei por vários e ainda não aconteceu...
    Desejo-te muito sucesso nos projectos futuros!*

    ResponderEliminar
  4. "Sssimm…” - respondi sem perceber o que se passava. Não fui à maquilhagem. Esqueci-me, e sempre fui um pouco maria-rapaz nestas coisas. Acho que nem nunca tinha sido maquilhada antes, e para mim, era algo que não se adequava às minhas roupas mais confortáveis e tennis do dia-a-dia."
    Isso foi só ao príncipio...depois era maquilhagem atrás de maquilhagem cada uma mais original do que a anterior. Eras a minha principal cobaia...e fizemos coisas muito giras não? Beijinhos e felicidades.

    http://marlenemuchatastyledesign.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Minha querida puseste-me a chorar. Toiiiina! Gosto muito muito de ti. Fazes muita falta. Até das tuas msgs parvalhonas e videos a chamar-me nomes tenho saudades :P Mas ficou uma amizade linda que prezo muito. Admiro a tua força. A tua criatividade. A tua boa disposição. És um exemplo. Continua sempre assim... Liiiinda por fora e com um valor inimaginável por dentro. Sabes que mais? ocupo sempre o teu pc na redacção eheheh Vai fazer-nos uma visita sim? Mas mais importante que tudo.. que venha o almoço há muito combinado para matarmos as saudades! Love ya bitchhh ;) * beijinhos Raquel

    ResponderEliminar
  6. Pois eu fui um dos que segui o link do serbenfiquista e cheguei a este blogue. Já tinha sentido a tua falta na Benficatv e por isso senti curiosidade em saber onde andavas. Desde já deixa-me dar-te os parabéns pelo teu magnifico blogue. Fiquei fan e já o coloquei nos favoritos.
    Os meus parabéns também pelos excelentes tópicos que aqui tens, em especial este que comento, em que relatas de uma forma sentida a tua, ainda curta mas de certo longa e cheia de sucesso, vida profissional. Por fim, dar-te, ainda os parabéns pois, além de uma excelente oratória e fotogenia, escreves muito bem e de uma forma muito cativante.
    Beijinho
    Luís

    ResponderEliminar
  7. Estava a "passear pelo Facebock" e cheguei até aqui!
    Deparei-me com este post... Delicioso! :)
    Recordo-me de chegares ás tantas da noite por teres estado a gravar "As Casas do Benfica" e ires à continuidade entregar os discos ou de chegar de manha e ter recados teus.
    Lembro-me que embora com ar exausto, havia sempre mais um sorriso para dar...
    Foram poucas as vezes que nos encontramos fora da Btv e a continuidade é a sala da solidão, mas lembro-me de dizeres "Vou abraçar um novo projecto... Não é um Adeus é um até já".
    Senti-me triste confesso, embora pareça um sentimento egoísta, pois afinal ias fazer algo que à muito desejavas, mas não ia encontrar te mais a fazer caretas e coisas à "Ana Luísa" pela redacção.
    Acredito que pessoas como tu só podem ter um futuro maravilhoso e um passado de alegrias com bastante nostalgia pelo meio.
    Desejo-te um milhão de coisas boas e que continues assim: Autêntica.

    Um beijinho grande
    Cátia

    ResponderEliminar
  8. Que história fantástica! Muito bom, mesmo!
    Para além disso es Benfiquista :)

    ResponderEliminar
  9. (vi isto só agora, acreditas??)

    És muito telegénica, a tua simpatia transparece para o pequeno ecrã...fabuloso, mesmo!!

    ResponderEliminar
  10. Xii adorei o post! Como é possível um benfiquista como eu não ter reparado que tenho uma pessoa tão famosa como cliente Prove?! Boa sorte nos novos projectos e sexta-feira lá está mais um cabaz no LX Factory ;)

    ResponderEliminar