Encontros secretos, num clandestino escondido.





Não tem decoração, as cadeiras são desencontradas, apenas para sentar a clientela. Às vezes a mesa nem dá para todos, e quem nos serve mal fala português... No entanto, a palavra espalhou-se entre as pessoas, e quem já foi, continua a voltar.
A comida: divinal.
Ontem fui pela segunda vez esta semana ao restaurante Clandestino "cujo local não deve ser pronunciado"... sim, é quase como o Voldemort, que toda a gente sabia que existia, mas ninguém podia dizer. 
Adoro vir aqui por todas as razões: É uma fuga ao normal, um espaço completamente FORA, e numa zona muito Twilight de Lisboa, toda a gente se fala com naturalidade, não há complexos... e parecendo que não, a ideia de estarmos num sítio quase secreto trás uma excitação especial!
Este Sábado já lá vou voltar outra vez, porque tenho uma festa de anos... já sonho com a beringela assada e com o chao-min de frango!






Estas são algumas das fotografias tiradas por uma amiga minha, a Débora... Este post sempre me deixou muito curiosa quanto ao local. E agora que já lá fui, fazem-me todo o sentido.
Ela é uma fotógrafa iniciante bastante talentosa... aproveitem e deixem-se passear por alguns dos trabalhos dela.***
Já alguém desse lado visitou o Clandestino? Querem dar-me as vossas impressões, e quem sabe até sugerir alguns dos vossos pratos preferidos para experimentar amanhã?

Feliz Sexta-feira! 
PLIM*!

Ps: O fim-de-semana aproxima-se, e com ele, muitos motivos para sorrir: Hoje começa a primeira ronda de castings para o Viral de São Valentim, jantar com colegas da faculdade; Amanhã, curso de comédia de improviso, ida ao Clandestino; Domingo, Brunch e noite de Teatro...
Can't wait... Life's good...

1 comentário:

  1. Boa tarde, será que me pode enviar a morada desse restaurante, por mail?

    anastasia21.marto@gmail.com

    Obrigada

    ResponderEliminar