Uma nota sobre mudar de vida... // A quick note on changing life...

Tenho andado a prometer um post sobre como a minha vida mudou neste ano de 2012... Quando fiz este texto, mal sabia eu aquilo que estaria a passar daí a uns meses, e só não vos contei esta história mais cedo, porque realmente foi algo tão meu, que só me fez sentido uma partilha verdadeira agora. Espero que a minha experiência vos inspire a não se deixarem estar sentados a ver a vida a passar. É engraçado quando tentamos estruturar planos de Ano Novo... nunca conseguimos adivinhar quais os novos que nos vão surgir. A partir de Abril de 2012, a minha vida ganhou 300 novos objectivos, e devagar se vai ao longe... assim quero acreditar. Hoje sou mais feliz. :)

I've been promising you this post on how my life changed this year... when I made my New Years resolutions back on December, I never thought things could go so different just in a few months, and I haven't told you this story sooner because it was so mine, that it only made sense to me to tell you everything now.
I hope my experience inspires you to live life to the fullest, and not to drag on it, watching days go by. It is so funny to see that even though you try to plan your new year to keep you focused, life has its own special way to make you create new and new ones... and adapt. From this April on, my life gained 300 new goals, and I have since then been adapting... and happy. :)

Estávamos em Abril deste ano, quando decidi marcar os meus checkups médicos anuais. Coisa normal, e que nunca me custou a fazer. Mal sabia eu, que uns dias mais tarde, estaria a receber a notícia de que tinha sido encontrado um nódulo, que faria com que as minhas dores de cabeça começassem...
Eu estava na altura a trabalhar para uma produtora. A notícia caiu como uma bomba, e tive de fazer uma biópsia nada agradável. Os resultados chegariam daí a uns dias, e eu nunca mais me consegui concentrar. O que é que se estava a passar comigo? Não sou das pessoas mais saudáveis que conheço?
Comecei a rever a minha vida, os saltos que já tinha dado, o quanto já tinha crescido desde os tempos em que tinha saído da casa dos meus pais com 17 anos, e onde me encontrava naquele momento. Sim, sempre fui uma pessoa que rapidamente tem de encontrar novos desafios para se manter motivada e inspirada, mas naquela altura estava a sentir-me estagnada.
Quatro dias antes do meu aniversário recebi uma chamada do hospital. O resultado era maligno e tinha de ser retirado. Fui operada no dia seguinte e teria de ficar a aguardar para saber de novos resultados.
Começaram os ataques de ansiedade... Achava que ia morrer de um momento para o outro. Não conseguia parar de pensar na minha avó Luisa, que tinha falecido de um momento para o outro (em segundos, na realidade), e tão nova. Comecei a associar o problema dela aos meus, e a todo o momento tinha de estar a ligar para alguém para me acalmar... para perceber que ainda não era ali, nem naquele momento.
No trabalho não me estava a conseguir concentrar, e sentia que estar fechada no escritório me estava a roubar toda a saúde que me restava. Sem críticas a fazer ao local onde me encontrava, porque sempre tentaram arranjar meios para me fazer sentir melhor, comecei mesmo assim a sentir-me sufocada, e precisava urgentemente de mudar algo na minha vida.
Passei depois a elaborar novos planos sob o tema: Se eu morrer amanhã, o que é que deixei por fazer?

It was April, and I decided to make my medical checkups. Something quite normal, that I've always done... Hardly did I know, that a few days later I would be receiving bad news, that I had some kind of a nodule that would make all my headaches start from then on.
I was at the time working for a tv/web producing company. The news fell like a bomb and I had to make a not very comfortable biopsy (what biopsy is comfortable, anyways?!). I couldn't stop thinking.... what had I done wrong? Wasn't I one of the healthiest people I know?
I started looking at my life differently. It is such a devastating feeling, to think of yourself as being sick. Four days before my birthday I had bad news, and I went into surgery... after that, I started to have anxiety attacks everywhere... in the subway, alone at home, at the improv comedy lessons. I really thought I was going to die, and that that could happen from a moment to another. I started thinking of my sweet grandmother Luisa, and of how she passed away so quickly (in seconds, really) and so young. I started to se myself as her, and her problems were my problems, and I started to call my closest ones every time I felt that panic, just to ear that no... that was not the time I'd die... nor the hour, nor the place.
At work I couldn't keep myself focused, even though they were so helpful with my problems. I was starting to feel suffocated and something needed to changed quickly.
I started to make new goals, and the theme was: "If I die tomorrow, what have I left undone?"


Saí de onde estava de forma natural. Não vos avisei, porque não achei que devesse. Parei por uns momentos e decidi que faria voluntariado. É um dos meus planos de vida, vir a fazer voluntariado antes dos 30, e podia ser que o que me estava a acontecer fosse simplesmente uma luz ao fundo do túnel. Comecei a concorrer, e a concorrer. Nada... ou o projecto não me fazia sentido, ou as vagas estavam preenchidas. Passou um mês, dois meses, três meses. Durante esse tempo saí à rua sempre com a minha máquina. Decidi que haveria de me tornar autodidacta, e que aprenderia mais sobre fotografia e vídeo sozinha... que o meu blogue seria o meu emprego número um e que tinha de investir nele como se da minha vida se tratasse... Foi nessa altura que mudámos de look para algo mais sério, e mais crescido. As bolinhas deram lugar a um espaço mais limpo, e os corações a um espaço mais organizado e finalmente internacional! :)
O voluntariado não aparecia, mas ia-me calmamente sentindo mais saudável. Sempre sob observação, não fosse o "bicho" regressar.
De repente, surgiu a oportunidade de participar no Inimigo Públicoe fui convidada para fazer um vídeo de casamento para amigos... Esse vídeo permitiu-me investir em coisas que me fizessem feliz.
Agosto estava por aí, e novos convites foram surgindo para me ir mexendo com a minha máquina e pequeno equipamento... Comecei a ver que gostava muito do que estava a fazer, e chegaram novos planos: Se não entrar para voluntariado, o que é que vou fazer com a minha vida?
Starling Film nasceu assim como um cantinho romântico, que acima de tudo era a minha cara. Não dava para viver dela, mas dava para trazer de lá muita felicidade... e isso mantinha-me feliz. Com o final de Setembro, concorri para dar aulas numa escola profissional. Qual não foi o meu espanto, que no dia que soube que tinha sido aceite para ser professora, fui também aceite na Hungria para começar o meu projecto de voluntariado!

I left my job in a natural way. I never told you, because I never felt like I should. I stopped for a while and decided to try and join volunteer work. It is one of my life goals, to make volunteer work before 30, and maybe what was happening to me was just a way of life telling me that it was now time to start living my dreams. I started to try getting a project, and it became a bit harder than I thought. A month went by, two, three. I decided I'd go out more to practice video and photography, and that my blog would be for the moment my number one job. That was the time we (me and the blog) became international, and a different look arrived. A more grown up one, and clean.
My volunteering project was still far away, but I was clearly feeling healthier, focusing on nice goals that were keeping me busy and happy. I was still on watch at the hospital, in the case the "thing" would come back.
Soon, the opportunity to be a part of the infotainment tv show "Public Enemy" came, and I was invited to make a video for a friends wedding... that video allowed me to invest on other things that made me happy and in August, I was staring to get invitations to do some more lovely projects.
I started to see that I was really enjoying myself. Was this what life was showing me? New goals arrived: If I don't get into the volunteering project, what will I do then with my life?
Starling Film was born from this constant question. It is my romantic corner, that is so me. I still couldn't live based on that, but still, it was making me so happy. 
September came, and I applied to teach communication techniques at a professional school. That would be the perfect job to keep me focused on my new goals of bringing Starling Film to life, and still be doing something I've always loved: to teach!
On the day I got the news I had be accepted to teach by the end of the year, I got the news that I had also been accepted in Hungary, for the volunteering project!


Decidi balançar o que fazer primeiro. De facto, tinha até aos 30 para fazer o voluntariado, e a Starling tinha acabado de nascer ainda como um projecto muito bebé. A minha primeira visita à escola surgiu como uma muito, muito agradável surpresa, e fiquei marcada naquele momento pelos meus futuros alunos. Achei que tinha coisas de valor para lhes ensinar, e que antes de ensinar os que estão lá fora, ajudaria estes que estão mesmo aqui, perto de casa.
Desde esta decisão até a hoje, sou uma pessoa completamente diferente. Sempre achei engraçada a expressão de "Deus escrever direito por linhas tortas" até ao momento em que realmente me começou a fazer sentido.
Hoje adoro dar aulas de Técnicas da Comunicação, e adoro vir para o meu cantinho romântico, tirar fotografias. O trabalho tem acontecido de forma regular, ainda que chegue sempre ao final do mês sem saber que trabalhos terei para fazer no mês seguinte. Isto de começarmos algo por nós tem muito que se lhe diga... São muitas noites sem dormir, mas a satisfação final cobre todos os danos... quando vemos alguém feliz com o seu vídeo de casamento, ou com as suas fotografias de família. Não há dinheiro que pague a sensação de que nós é que causámos aquela sensação nas outras pessoas. E depois disso, fica o vício de querer fazer mais.
Todo o esforço que dediquei ao meu blogue foi recompensado quando fui convidada para dar o workshop de blogging na Semana da Personalidade Digital. Adorei conhecer pessoas novas e que se dedicam tanto às redes sociais como eu. Quero ser blogger "quando for grande"... Hoje já sei. :) E quero tirar fotografias de amor e fazer vídeos como profissão número dois.
O "bichinho papão" não voltou, embora ainda esteja a ser observada regularmente. Os ataques de ansiedade pararam e já não me lembro de quanto tempo se passou desde que tive o último.
Ando ocupada e feliz. :)
Não esperem que más notícias vos acordem para toda uma vida que têm pela frente. Se querem algo, levantem-se do sofá e vão buscar. Não percam a cabeça a ver as notícias ou a "Casa dos não-sei-o-quê". Ajudem o próximo, sejam boas pessoas e sonhem, sonhem muito.
Espero que este meu texto vos inspire para os vossos planos de Ano Novo... Já falta pouco para 2013, e não, o mundo não vai acabar antes disso.

I decided to think of what to do first. In fact, I still had until 30 to make my volunteering project, and Starling was only a baby project. My first visit to the school was such a nice surprise, and those kids were so sweet. I decided I'd stay and try, because before going outside the country, I wanted to try and do something for these ones first. I feel like I have so many things to tell and teach... inspire, that I couldn't waste the opportunity. Since my decision, until today, I am a totally different person.
I love teaching, and I love my small creative corner Starling Film. Work has been coming in a regular way, although I never know what will happen next month. Starting something your own is such hard work. A lot of sleepless nights. But in the end, it's all worth it. Because it is our job that is making others happy, and the addiction to keep on doing it pushes you so forward.
The invitation to be a part of the Digital Personality week, to talk about blogging came as a beautiful reward of all the effort I've put on blogging. I really want my blog to be my number one job... and vídeo and photography my second. I know today.
The "bad thing" hasn't made any comebacks, although I still make regular check ups, and I can't remember when I had my last anxiety attack.
I am busy and happy. :)
My advice with this blog post is for you to don't wait for the bad news to give you a wake up call. Get out of bed and fight for your dreams. Help each other and dream high, really high.
I hope this text inspires you for your New Year goals, since 2013 is coming really fast. Don't worry, the world wont end before that, as i've read somewhere.

Love, Lu*

Agradecimentos especiais à Lara Seixo Rodrigues pelas fotografias. Tratamento de imagem pela Starling Film.
Agradecimentos especiais também a todos os amigos e família, que me ajudaram a ultrapassar os tempos mais difíceis. Eu nunca esquecerei a força com que me brindaram*

Special thanks to Lara Seixo Rodrigues for the lovely pictures. Treatment by Starling Film.
Special thanks to all of my friends and family who were with me during my hard times. I will never forget the strength you've given me.*

24 comentários:

  1. Ana, deixaste-me de olho brilhante. Não fazia a mais pequena ideia, enganaste-nos com esse teu sorriso enorme aqui pelos corredores. Um beijo apertado da Andrea, que te admira. :)

    ResponderEliminar
  2. Menina-mulher inspiradora. Orgulho em ti! Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Que posso eu dizer deste texto?
    Que sinto as tuas palavras, em muitas partes... como se fossem minhas!
    Que compreendo essa transformação que te vai dentro e que agora se concretiza em projectos simplesmente maravilhosos! Sei que esse sofrimento e esse medo... apesar de duro, levou a que tomasses a tua vida pelas tuas próprias mãos de uma forma tão lutadora e incrível! És simplesmente admirável!
    O meu processo tem sido mais lento, muito mais lentooooo! Tem dias que me pergunto porque me sinto com as mãos tão atadas e porque demoro TANTO TEMPO a fazer algo por mim... que eu sei que mudará a minha vida para melhor, tal como a tua tem mudado! O MEDO, esse "gajo" paralizante... paraliza-me para lá de um ano, tempo demais para não sair do sítio e sofrer desnecessariamente. Tempo demais para deixar a vida decidir por mim... é triste!
    Por isso, Ana Luísa, a minha admiração por ti é, hoje, ainda maior!
    Parabéns pela linda pessoa que és!
    Parabéns por lutares assim por ti e pelos teus sonhos!
    Clap! Clap! Clap!
    Um grande bjinho sincero e orgulhoso!

    ResponderEliminar
  4. PUM...atingiste-me na ferida. Eu que tenho tanto medo de arriscar em seguir os meus sonhos...
    Obrigada e Força, sempre!

    ResponderEliminar
  5. Peço desculpa pela intromissão, mas há já algum tempo que sigo o teu blog e de certa forma o teu trabalho e agora não consegui evitar comentar.
    Primeiro por achar as tuas palavras tão certas e depois para dizer que não deixes esse impulso esmorecer.
    Ás vezes quando essas coisas nos passam pela vida, sentimo-nos com vontade de mudar tudo e depois voltámos a acomodar-nos.
    por isso queria dizer-te o quanto acho admirável os teus projectos e desejo toda a sorte do mundo.
    Vivo "lado a lado" com alguém que como tu, todos os dias tem de procurar o seu trabalho e lutar para que o levem a sério (muitas vezes as pessoas só levam a sério quem tem um trabalho certo) mas também vejo todos os dias a alegria e realização que isso dá. Por isso espero, sinceramente que os teus projectos sigam em frente porque dinheiro nenhuma paga a felicidade, realização e paz de espirito :)
    Muita força e toda a sorte do mundo e se algum dia precisares de alguma coisa, o que quer que seja, é só dizer!!

    Patrícia Gaspar

    ResponderEliminar
  6. Olá Ana,
    Compreendo e sinto o que aqui descreves. Talvez não com a mesma intensidade (porque tudo o que seja relacionado com a nossa saúde, é demasiado pessoal) mas exactamente no questionar os nossos objectivos e na vontade de viver de acordo com o que nos faz... sentir vivos.
    Recentemente despedi-me de um emprego de quase uma década e, aos poucos, vou-me libertando de rotinas e vivendo de acordo com o que mais gosto de fazer, dando também mais valor às pequenas coisas que me fazem sentir bem.
    Ao sair do emprego escrevi este texto (http://artsoulblog.blogspot.pt/2012/07/batatas.html) e podes ler mais sobre mim e o meu processo de mudança de vida aqui (http://artsoulblog.blogspot.pt/p/sobre-mim.html). Não entendas isto como uma forma de "publicitar" o blogue mas sim uma espécie de agradecimento pelo texto e, de certa forma, umas palavras de apoio. Sim, é essencial acreditarmos em nós. Sim, é muito bom deitarmos a cabeça na almofada e sentir que este foi mais um dia que valeu a pena.
    Beijinhos e tudo de bom para ti.

    ResponderEliminar
  7. Do nosso breve contacto, fiquei com a confirmação do que li aqui e agora: és uma força da natureza! Se metes algo na tola, ela há-de se concretizar e pronto.
    Toda a sorte do mundo para ti!

    Bjis.

    (Nada a ver, mas vou para Lx no fim-de-semana antes do Natal e conto passar por aí uns dias. Estarás por aí para um bolinho e chá?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vais cá estar? Posso-me colar descaradamente a esse chá e bolo?

      Eliminar
    2. UUUi! :) Avisa-me mais perto da data! É claro que dá para bolinho e chá :)
      Analog, por mim juntas-te, claro :D*****

      Eliminar
    3. E para terminar... obrigada pelas vossas palavras :D
      Fico muito feliz com as vossas reacções*
      muitos beijinhos, babies*

      Eliminar
    4. Claro que podes colar-te, Analog! Farei muito gosto em finalmente botar-te os olhos em cima! Dependendo da disponibilidade e do sítio que vocês entenderem (estou desactualizada com os sítios bons para comer bolos em Lx, portanto, deixo isso ao vosso sábio critério), até poderão ser formalmente apresentadas a Sua Alteza Canina, El Sebastião.

      Estou a pensar ir no sábado 22 ou no domingo 23 (ainda não tenho a certeza) e terei essa semana toda livre (também não estou certa se ficarei todinha «aí em baixo», mas logo se vê).

      Eliminar
  8. Aninhas, isso é que foi uma época atribulada. o que sempre senti foi que mesmo no meio daquela escuridão e dúvidas todas, tinhas um sorriso e um brilho de esperança nos olhos. Tem sido uma conclusão brilhante de ano para ti (e uma boa prova disso é que quase não te boto a vista em cima de há uns meses para cá...), e mereces cada minuto dessa felicidade e liberdade. Tens-me inspirado muitíssimo.
    Miss u girl! Quando voltamos às andanças?
    Grande post.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Parabéns, Ana Luísa. Pela força, por lutares e por acima de tudo por acreditares. Compreendo perfeitamente todo esse processo que passaste. Há 9 anos, com 21 anos, passei por uma experiência semelhante e cá estou para contar a história que não se sabe bem qual é o desfecho.
    Um dia de cada vez e vivido com intensidade e amor.
    Um grande beijinho e votos de muitas felicidades para a tua vida e para os teus projectos

    ResponderEliminar
  10. De vez em quando, algo me impele a vir aqui para te "visitar" um pouco.
    Tenho revisitado muito o passado e percebido como deixa marcas em nós.
    Acho que, embora às vezes quizesse, sou incapaz de cortar o cordão umbilical que me liga às pessoas que me deixaram uma marca no caminho.
    Nós separámo-nos mas a separação é uma ilusão.
    Nós tornámo-nos pessoas diferentes, mas a diferença é uma ilusão.
    É capaz de haver um momento na nossa vida, em que nos voltamos a ligar por uma lição de vida e uma compreensão do mais profundo que existe nas ligações que foram feitas com amor.
    Como aquela menina que era uma irmã para mim e me fazia sorrir todos os dias, às gargalhadas.

    No meu coração, a esperança que te lembres de mim, ao invés dos meus defeitos e da minha personalidade mais crua e éterea.

    Sei que não preciso dizer que podes contar com a minha confidência tumular nos todos aspectos da vida, porque a minha essência continua a sondar os meus verdadeiros tesouros acumulados: os acarinhados rubis de amor que são as pessoas da nossa vida.

    Assim dito, o bem que fizeste à criança em mim não fica obliterado nem por sacríficios e dores de ordem maior. O teu legado em mim foi mais forte do que as tempestades por que passei. E de certo modo, acho que construímos essa base juntas.

    Diana Noé

    ResponderEliminar
  11. Obrigado pela tua partilha tão íntima. Por te deixares ler (também por dentro) desta forma tão tua.

    Tenho pensado em ti estes dias. Já não corres às quartas-feiras?
    Beijinhos e mais beijinhos,
    Laura Marques
    (do workshop de Personalidade Digital ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laura, olá!
      Muito obrigada pela tua mensagem...
      Ainda caminho às Quartas e quase todos os outros dias. Com o mau tempo deixei de publicar... mas tens toda a razão. Para a semana que vem voltam os convites à carga!
      Bora lá caminhar e queimar as coisas más*
      :D

      muitos beijinhos!

      Eliminar
  12. Obrigada pelas vossas palavras doces.... :)
    Beijinhos fortes do meu coração para os vossos!***

    ResponderEliminar
  13. Partilha tão pessoal e tão bem escrita! Acho que és uma vencedora, com garra e força de vontade. Os meus parabéns!

    ResponderEliminar
  14. Muito bem escrito. Transmites muita força, garra e boas energias! Por tudo isso e pelo excelente trabalho que tens mostrado aqui no blog, mereces que essa mudança de vida corra pelo melhor!

    Se o objectivo era inspirar... a mim conseguiste. Pois uma grande volta tb se avizinha "aqui para os meus lados" e estava com um bcoadinho de medo, tenho que confessar :) Agora ja tenho menos :D

    Beijinhos!!*
    Sara

    ResponderEliminar
  15. ;) penso que nao preciso de escrever ... E assim acho q percibiste tudo *** gdt !!

    Luisa R

    ResponderEliminar
  16. Olá Ana!

    Bem, adorei ler o teu texto. E identifiquei-me imenso, porque também este ano de 2012 foi de drásticas mudanças para mim, mas nada comparado com um problema de saúde que mete aquilo por que eu passei à classificação de peanuts. Mas ainda bem que está tudo bem e acredito imenso que as coisas acontecem sempre por uma razão e se te fez mudar de vida assim é por que era isso de que precisavas. Se estás mais feliz agora, então está tudo bem! :) E adoro ver pessoas que lutam pelos seus sonhos, e que os vão atingindo graças a acreditarem e muito trabalho. É isso que faço também e fico muito contente de ler alguém dizer que quer ser blogger quando for grande, porque também é uma das coisas que quero! :)Com tanta força e vontade não tenho dúvidas nenhumas de que vais alcançar tudo o que queres e, acima de tudo, inspirar os outros.

    Temos que falar ao vivo, então!! :) beijinhos!!

    ResponderEliminar
  17. Parabéns pela força e coragem! Ainda em que estás melhor. Beijinhos e tudo de bom*

    ResponderEliminar
  18. Li este texto hoje...estou numa fase complicada, uma das mais complicadas da minha vida. E este texto inspirou-me. A fazer mais, a lutar pelo que acredito, pelos meus sonhos, por tentar ser mais feliz mesmo com todos os golpes que a vida tem. Obrigada!

    ResponderEliminar