Sunset flares at 27... a birthday sneak peek.


Chegaram os 27...
Olhando para o meu ano passado, não consigo deixar de pensar que se me tivessem contado tudo o que me ia acontecer, eu simplesmente não iria acreditar. Chegaria até a pensar que seria possível não sobreviver a um ano tão rico, de aventuras, desafios, luta e auto-reconhecimento.
Hoje conheço-me melhor. Aprendi que não sou um super herói, mas que em muitas situações posso pensar como um. Como quando criei a Starling Film apesar de tantas críticas e de avisos para ter cuidado com a crise, ou como quando estive doente e me mentalizei de que tudo iria ficar bem... de quando me surgiu o convite para dar aulas, e apesar de nunca o ter feito na vida, ter agarrado os meus medos pelos cornos e de ter aproveitado uma oportunidade que hoje é, descobri entretanto, das coisas que mais amo na vida. Ensinar, ajudar, guiar, inspirar...
Os meus 26 foram de extremos, tanto de bom, como de mau. Aprendi que tenho os melhores amigos do mundo, um namorado que me apoia incondicionalmente, e pais incríveis.
Sou grata pela estrelinha que olha por mim, e que me faz ver o lado positivo de tudo, mesmo quando me vou abaixo e acho que estou a falhar, ou quando por alguns momentos não tenho dinheiro ou trabalhos.
Os meus 27 já começaram com novos desafios, e mal posso esperar para vos contar o que ando a tramar dentro do mundo dos doces, rumo ao sonho de ter a minha pastelaria, ou os investimentos pessoais que tenho feito com a Starling para que tudo corra com mais força em 2013.
Digo-vos que andei estafada durante todo o meu 26º ano neste planeta, e que valeu cada noite sem dormir. Por isso mesmo, é que na passagem para mais uma Primavera pedi ao Miguel que me ajudasse a ter um fim-de-semana de descanso. Ele não me disse para onde íamos, e levou-me para um Alentejo silvestre. Alugou o sol só para nós, e entre comida boa e uma sesta de duas horas todos os dias, entrei nos 27 exactamente como queria. Com a máquina fotográfica numa mão, e a mão dele na outra.
Com 27 quero ainda mais do que a vida me pode dar. Quero caminhar mais, trabalhar mais, mais desafios, mais aprendizagem.
Há pouco tempo sonhei que ia morrer muito jovem, e não foi a morte que me assustou nesse sonho. O tempo parou, e houve uma voz que me perguntou se podia ser nesse momento, a minha morte. Eu supliquei-lhe que não. Não por ter medo de morrer, mas porque ainda queria fazer tanta coisa, ainda tinha tantos planos. A voz disse-me que um dia voltaria para me fazer a mesma pergunta, e acordei com a sensação estranha de que tinha falado com Deus.
Não vos sei explicar o parágrafo anterior, mas sei dizer-vos que é realmente o meu maior medo: Morrer sem ter vivido.
O que estão vocês a fazer pelos vossos sonhos?
Estamos a chegar ao final da semana, e de repente, estamos também já em Maio. Faltam sete meses para fazerem com que 2013 tenha valido a pena.
Obrigada por todas as mensagens de parabéns. Não me custa nada fazer anos. Acho que todas as idades têm a sua magia... guardei as velas dos 27 para o dia em que fizer 72! Ah, e mordi as duas, com dois desejos especiais.
Love, Lu*


And so the 27 have arrived...
Looking back over my last year, I can't help thinking that if I had been told everything that would happen to me, I would't believe a word of it. I'd come to think that I wouldn't survive such a rich year, full of adventures, challenges, struggle and self-recognition.
Today I know myself better. I learned that I am not a super hero, but that in many situations I can think like one. Like when I created Starling Film despite many criticisms and warnings to be careful with the crisis, or as when I was sick and trusted that everything would be fine ... when I was invited to give lectures, and despite never having done it in my life, I grabbed my fears by the horns and took advantage of an opportunity that today is one of the things I love most in life. To teach, to help, to guide, to inspire...
My 26 were all about extremes, both good and bad. I learned that I have the best friends in the world, a boyfriend who supports me unconditionally, and incredible parents.
I am grateful for the star that looks out for me in the sky, and that makes me see the positive side of everything, even when I'm down and I think I'm failing, or when for a few moments I have no money or photography projects.
My 27 has already started with new challenges, and I can't wait to tell you what I'm plotting within the world of the patisserie, towards the dream of having my pastry shop, or personal investments I have made with the Starling so that everything runs better in 2013.
I can tell you what I've been exhausted throughout my 26th year on this planet, and that it was worth every sleepless night. Therefore, it was with the passage for another spring that I asked Michael to help me have a weekend break away from the city. He did't tell me where we were going, and took me to a wild Alentejo. Rented the sun just for us, and between good food and a nap for two hours every day, I got in to the 27 exactly as I wanted: With camera in hand, and his hand on the other.
With 27, I want more of what life can give me. I want to walk more, work harder, more challenges, more learning.
Not long ago I dreamed that I was going to die very young, and it was not death that scared me in that dream. Time stopped, and there was a voice that asking me if it could be "right now", my death. I begged the voice not to. Not for the fear of dying, but because I still wanted to do so much, I had yet so many plans. The voice told me that one day it would return to ask me the same question, and I woke up with the strange feeling that I had spoken with God.
I still don't know how to explain you the preceding paragraph, but I can tell you that this is really my biggest fear: To die without having lived.
What are you doing for your dreams?
We are approaching the end of the week, and suddenly, we are also already in May. Still missing seven months to make 2013 worth it, so get your hands on the job.
Thank you for all the lovely birthday messages. I like to celebrate my birthday, and am not afraid of getting old. I believe all ages have their magic ... kept the candles of my 27th for the day I'll turn 72! Oh, and I bit the two of them, with two special wishes.
Love, Lu *

18 comentários:

  1. Escreves bem, e adoro ler quem escreva bem. Tudo de bom, menina bonita.

    ResponderEliminar
  2. oh, obrigada, Andrea :)
    beijinhos bons*

    ResponderEliminar
  3. Partilho muito os teus pensamentos! Não quero ir desta para melhor sem aproveitar o melhor da vida e não fazer algo que adore. Não quero chegar aos 70, olhar para trás e pensar com tristeza naquilo que não fiz... aliás falo já nos 30, não quero chegar lá e sentir a minha vida vazia e demasiado incompleta.

    Ainda ando na fase da descoberta, não descobri ainda aquilo que adoro fazer, algo que me faça acordar todos os dias bem disposta e com vontade de começar um novo dia.

    Mas vou tentando, vou procurando, vou experimentando coisas novas, mexer-me quando sinto estagnada, com a esperança que chegue o dia em que encontre algo e que diga: é isto que me faz realmente feliz!

    A procura nem sempre é facil, há muitos dias que me vou abaixo, que penso que não vou conseguir ir mais além, que vou ficar sempre assim, nem muito triste nem muito feliz...
    Mas penso que o importante é agarrar nas coisas boas que já temos e com isso arranjar forças para continuar e seguir em frente :)

    Espero ter um final ou melhor falando, um começo tão bonito como o teu! :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faz mal não ter descoberto o que queremos "ser quando formos grandes". Eu própria ainda não o sei... divirto-me na descoberta e na tentativa e falhanço de dezenas de aventuras.
      Tenho muitos amigos (e um ex-namorado) que me intitulam de "a eterna insatisfeita", simplesmente porque salto de interesse em interesse muito rapidamente.
      A felicidade está no caminho que percorremos e que delineamos. :)

      força desse lado! E obrigada por leres o Doce para o meu Doce*

      Eliminar
  4. Que texto tão lindo e inspirador! Compreendo perfeitamente esse medo de morrer sem ter vivido. Tenho de superar esta maldita preguiça, movida a comprimidos ou não, não a posso deixar derrotar-me. Ando cheia de planos e novas vontades e aposto que vou chegar ao fim do ano com a sensação que valeu mesmo a pena! :)
    Vale sempre, nem que seja pelas aprendizagens.
    Beijinho menina bonita*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos a isso, Analog!**
      Quero ver essa vida gira no auge! :D

      Eliminar
  5. Deus está a ficar gágá, olhou para as tuas velas e viu o nº 72 aposto ;)
    Guarda-as bem pois daqui a muitos muitos anos, quando fores uma velhinha de cabelo cor de ameixa, hás-de olhar para trás com um sorriso nos lábios e um brilhosinho nos olhos e saberás que viveste uma vida plena e sem arrependimentos :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada kokliko! Espero bem que sim*
      Adoro olhar para as velhinhas e tentar imaginar a vida que viveram. Quero que a minha seja repleta de aventuras, e de longa duração...
      Quanto ao cabelo cor de ameixa... adoro essa imagem que me criaste na cabeça! hahaah... vou ser uma velhinha freak, de cabelo cor de ameixa, tatuagens e ainda blogger... hahahaha.

      Eliminar
  6. Parabéns atrasados! :)
    que seja um ano cheio de projetos realizados, pessoais e profissionais. 27 é uma idade muito bonita, foi quando "casei" os anos.
    acho que nos cabe sempre a nós essa difícil mas tão gratificante tarefa de fazer de cada ano um ano especial e memorável. que o seja para ti desde o primeiro dia. :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu caso os anos pró ano que vem... :)
      e concordo com tudo o que aqui escreves. Nós é que temos de fazer com que cada ano valha a pena! :D
      Obrigada pela mensagem... fica outro beijinho para ti!*

      Eliminar
  7. Adorei o texto! Sabes quando lês algo e ficas super inspirada e só queres fazer tudo e mais alguma coisa que sempre pensaste que nunca irias fazer? Pois é, foi assim que fiquei, mesmo! Obrigada, gosto mesmo de te ler! E parabéns atrasados (espero ainda ir a tempo :)). Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é claro que vêm a tempo****
      Obrigada pela tua mensagem... fico feliz de saber que o texto te tocou :')
      Obrigada por estares desse lado!

      Eliminar
  8. Antes de mais, parabens atrasados. Que os teus 27 sejam cheios de sorrisos, tens um sorriso maravilhoso e espero que nunca o percas!
    Estas fotos estao maravilhosas, o Alentejo e' O AMOR e a luz / o sol / o calor que nos da e' intransmissivel.

    Vi ha uns tempos uma entrevista que deste na TV e desde entao que gosto ainda mais deste teu projecto, desejo-te sinceramente tudo de bom, o maior dos sucessos. Es uma forca da natureza, uma inspiracao. Gostei muito deste texto, e gosto muito como pareces encarar a vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Lali***
      fico sempre sem jeito e não sei o que dizer quando leio comentários assim. Força da natureza, inspiração... bolas, obrigada...
      A entrevista que viste foi a que dei ao Económico Tv? Foi uma aventura divertida.. eu estava super nervosa! :D
      Vai aparecendo... adoro receber a tua visita*

      Eliminar
  9. Li este texto hoje de manha quando me sentia realmente perdida. Pode parecer estranho quando posso dizer que tenho uma das profissoes mais aliciantes do mundo... Humanitarian Aid worker, e tenho a possibilidade de viajar por todo o lado e conhecer tanta gente e aprender tanto. Mas de facto hoje sentia que nao estava a viver. E depois de ler o teu post percebi que nao podia continuar assim! Ate consegui olhar pela janela quando o aviao levantou mais uma vez voo hoje (algo que ja nao fazia a algum tempo) e de facto a terra e tao bonita vista de cima e vale mesmo a pena abrir os olhos. Obrigada pelo post e excelente blog. Tambem sou uma sonhadora e adorava ter a minha "petit maison" de cha um dia!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bolas, mostra-me links do que fazes... adoro a ideia. O que posso fazer para ser uma Humanitarian Aid Worker como tu? :D
      É preciso um grande estofo, e compreendo que muitas vezes te sintas em baixo... dar muito de nós preenche-nos, mas também é exaustivo, e acredito que chegues a casa sem forças na maior parte dos dias.
      Fico contente que o meu texto te tenha dado força no momento certo e mais necessário.
      Fala-me mais dessa casa de chá :)
      E quanto aos aviões, e a abrir os olhos, eu sou bastante medrosa no que toca a voar, mas estar acima das nuvens obriga-me a olhar pela janela e a sonhar mais alto*

      Até já!

      Eliminar
  10. Amiga, adorei ler-te.
    Os meus 27 já lá vão, há uns anos valentes, mas sempre pensei (e penso) como tu. Quem tem a sede de viver e de criar, de se conectar com o mundo, as coisas, as gentes... não para. Permanece sim numa vida constante tanto no interior como na realização de projetos lindos que todos podem ver, como aqueles que fazes...
    Continua a espalhar magia. Sempre. A tua estrelinha vai continuar a brilhar. Sempre. E eu continuarei por aqui a ler-te. Sempre.

    ResponderEliminar