The Best of 2013 - Giggles edition

Já vos tinha contado aqui como surgiu a Giggles nas nossas vidas. No entanto, alguns pormenores ficaram por contar.
O ano de 2013 foi generoso e também cheio de pequenos precalços no que toca à existência da Giggles... Mas como em qualquer pequeno negócio que começa, as barreiras que vão surgindo, embora duras, muitas vezes são aquilo que de mais giro temos depois para contar.
A nossa primeira fornada de encomendas foi uma experiência inesquecível. Somos novatas nisto, não sabíamos quanto tempo demorávamos a fazer uma grande encomenda, eu vivo em Lisboa e a Cíntia em Oeiras... Cada uma com os seus projectos pessoais à mistura, e uma vontade muito grande de fazer a Giggles acontecer.

I had already told you here how Giggles appeared in our lives. But still there were some details left of.
The year of 2013 was very generous but also difficult as we talk about our small business... but like in any other small business that is just on its beginning, the walls that come along, some of the tough to cross over, are the funniest stories we have to tell.
Our first set of ready Giggles was an unforgettable experience for us. We are new at this, we didn't know how long it took to make a big order, I live in Lisbon and Cíntia in Oeiras... each of us with our own projects and with a big will to make Giggles happen. 

Com a chegada das várias encomendas, estipulámos que Quinta-feira dia 19 de Dezembro seria o dia de deadline para termos tudo nos correios a caminho dos nossos clientes. Recebemos as fotografias atempadamente, programámos o aspecto de cada faixa e agora bastava imprimir e aguardar a chegada das caixas de encomenda que mandámos fazer por medida para lá caberem os Giggles em plástico bolha.
O primeiro precalço aconteceu exactamente com estas caixas feitas por medida. A data de entrega a 16 de Dezembro falhou. Contactámos a empresa de entregas e foi-nos dito que tinha havido um lapso, mas que no dia seguinte, Terça-feira 17 estariam connosco.
No dia seguinte, Terça-feira, levantei-me bem cedo e fui imprimir os nossos Giggles. A caminho da casa da Cíntia, recebo a mensagem de que as caixas ainda não tinham chegado. Começámos a cortar cada faixa com cuidado, e a fazer o picotado entre fotografias manualmente, e intercalávamos o trabalho com chamadas para a empresa de entregas. Queríamos enviar tudo o quanto antes, e não queríamos ter de esperar para só termos as coisas no nosso dia limite de Quinta-feira 19. A empresa Rangel dizia que tinha havido outro lapso, que as nossas encomendas tinham ido para o Porto, e que agora só dia 18 é que estariam em Lisboa. Para nós era inadmissível. Tinha-mos um compromisso para com as pessoas que tinham acreditado em nós, e não queríamos falhar. Para além disso, tínhamos uma encomenda para os Estados Unidos que tinha de seguir ainda hoje, dia 17 para chegar a tempo do Natal. As caixas por medida tinham de estar em Lisboa!
Pedimos ajuda à empresa que nos fabricou as caixas e mesmo assim não houve nada a fazer. A espera era inevitável.

With the arrival of our first orders, we set that Thursday the 19th would be our last day, our deadline to send everything to our clients. We received their pictures on time, we programed how each strip would look like, and now all we had to do was print, and wait for the mail boxes made by size to arrive.
The first problem came when the delivery didn't happen on the 16th. We called the Rangel company and they said that there had been a mistake, but that on the next day, they'd be here.
On the 17th, I got up really early and went printing our Giggles pictures. On my way to Cíntias home, I received a message saying the boxes weren't there yet. We started cutting each stripe, and making the paper perforations manually and kept on calling the delivery guys. We wanted to send everything to our clients that day, and we didn't want to have to wait for the deadline date by the 19th. The delivery company said that there had been another mistake. And that our orders had gone to Oporto, and that they would only be in Lisbon the next day. We could not possibly accept that. We had given our word to our clients who had believed in us, and we didn't want to fail. And we had also received an order from the United States that had to be sent on that day, to be able to arrive in time for Christmas. Our boxes had to arrive!
We even called the company that had made our boxes to see if they could help and put some pressure on the Rangel guys, but there was nothing they could or want to do. We had to wait.


Eu deixei a encomenda para Los Angeles nos correios com uma caixa que não era a nossa. Era um formato normal dos CTT, ia custar-nos mais um pouco do que o esperado, mas ao menos aquela que ia para mais longe chegaria a tempo. As encomendas para Portugal sairiam no dia seguinte, a 18.
Dia 18 chegou e depois das reuniões curriculares na escola fui a correr para a casa da Cíntia para terminarmos as nossas encomendas. Decidimos que já que tínhamos tido mais um dia para fazermos tudo, ainda podíamos imprimir novamente os Giggles com um formato de qualidade melhorado. Mal sabíamos nós que a Cíntia, a passar por uma gravidez de risco e obrigada a estar sentada a maior parte do dia, ia passar a manhã e a tarde com o fornecedor de Oeiras. Não acertavam nas medidas, comiam fotografias na impressão. Não ajudaram minimamente com o nosso ficheiro e a Cíntia teve de ir a casa deslocar as fotografias 16mm para o lado e voltar. Foi um dia infernal para ela, e onde já se soprava por todos os lados.
De repente, chegaram as caixas por medida. A Cíntia nem queria acreditar no que via. A caixa com a encomenda estava destruída, tratada a pontapé, algumas das caixas danificadas. Eu estava no carro a caminho de casa dela quando recebi as fotografias... Não era possível. Porquê? Porquê connosco? Que mal é que fizemos ao mundo? Para melhorar a situação, eu, que tinha saído às 18h30 da escola no Parque das Nações, apanhei acidentes por todo o caminho e demorei quase duas horas no trânsito.

I left the Giggles US order at the post office in a box that wasn't our mail box, but one that the CTT post office had. It was ok, but didn't look as pretty. The costs were a bit bigger than expected because of the weight of this new box, but we had to do it. It had to arrive in time. And that is how we sent our first order ever. The next ones, would go the next day, all in their right mail boxes.
The 18th arrived, and after my meetings at school, I went to Cíntias home so that we could finnish our orders. We decided that now that we have had another day to make everything better, we would print the Giggles again in another place to check how better it could be. Barely did we know what Cíntia was about to go through. She has a high risk pregnancy, and she had to stay all day waiting for the printing to come out. They couldn't get the measures right, they would destroy some of the pics, and didn't even help with our file. Their printing machine needed our photos to be set 16mm to the side, and they said we couldn't do it there, so Cíntia had to go home for 16mm and come back. It was a terrible day for her and her baby.
Then, when she arrived home, so did our mail boxes, and she couldn't believe what her eyes were seeing. The box was destroyed, like it had been treated with their feet and not with their hands. I was still in the car, cause there was an infernal traffic jam, so she sent me pictures, and all I could think of was "why?", "why us?", "what have we done wrong to the world?".




Quando finalmente em casa, estávamos nervosas com o dia que estávamos a ter, e a ajuda da irmã da Cíntia, do cunhado e do marido foram essenciais. As coisas tinham de estar nos correios hoje. Na sala, estava uma autêntica linha de montagem. A Cíntia cortava, eu picotava, a Antonieta e o Egar tratavam das dobragens e das bolinhas de esferovite e o Sérgio fechava as caixinhas. Depois eu metia a morada em cada uma e a Cíntia fazia o meu double check para que eu não me enganasse em nada.
A estação dos correios dos Restauradores só fechava às 22h e tínhamos agora pouco mais que duas horas para tudo.
A meio de um dos picotados, estraguei um Giggles. "Não acredito" - disse a Cíntia.
Eu baixei os braços em pura desistência. Estava nervosa, estava cansada, e ela também.
"Não faz mal, Ana Luisa. Este imprimimos novamente amanhã que é dia 19 e chega na Segunda-feira... Descansa. Vamos conseguir."
Ficaram cerca de três para terminar no dia seguinte. Eram 21:30 e acreditávamos que eu conseguia chegar aos Restauradores a tempo.
Meti-me no carro... Agora estava tudo nas minhas mãos.
Confesso... Fui a correr. Voei na A5 como nunca tinha feito antes. Apanhei trânsito já em Lisboa, e estacionei no parque dos Restauradores às 21:55. Lancei-me a correr com um saco gigante até aos correios. Entrei pela porta às 21:59, e um segurança parou-me. "Menina, já não pode. São 22h!"
"Não pode ser... Por favor, tenho mesmo de entregar isto hoje... Por favor, deixe-me chegar ali ao balcão, são 22h agora mesmo! Por um minuto, por favor..."
"Não, menina, às 22h sai o camião vermelho dos CTT que estava ali à porta com as encomendas..."- disse ele
"Mas não estava ali nenhum camião. Os CTT trabalham até às 22h, logo o camião não parte às 22h certinhas, por favor, deixe-me tentar" - dizia eu enquanto o senhor me fechava as portas de vidro.
Senti que ele estava com alguma pena de mim. A chuva lá fora e a minha cara de pânico levaram-no a ter alguma compaixão. Virou-se para trás e chamou as três pessoas que contavam o dinheiro atrás do balcão.
"O que é?" - gritou rudemente um dos senhores dos CTT.
"Tem aqui uma menina que diz que tem mesmo de enviar uma encomenda hoje para chegar a tempo do Natal".
"Agora já não dá. Já são 22:02 e já fechámos."
O segurança virou-se para mim. "Desculpe menina, ele diz que já não dá."
Eu olhava lá para dentro e nenhum dos 3 se dignou a olhar para mim. Eu gritei lá para dentro "Eu peço imensas desculpas, eu percebo que é tarde e que querem ir descansar... Eu também tive um dia terrível, só vos peço uma atenção... Ainda só são 22:05, por favor".
Nenhum deles olhou para mim. Eu sabia que em Cabo Ruivo só fechavam às 23h, mas a nossa conta de clientes estava ali. Tinha de ser ali.
"Desculpe lá, menina..." Disse o segurança antes de trancar a porta.
Eu virei as costas e chorei. Chorei por todo o stress que tinha acumulado, chorei pelos nervos, chorei por pensar que tinha falhado, chorei porque toda a Giggles estava a crescer com impedimentos, com a palavra "não" constantemente presente, com faltas de profissionalismo, com atrasos. Como é que algo que nascia com tanto amor poderia ser tão mal tratado?
Liguei para a Cíntia e saíram-me da boca todos os nomes feios que existem no mundo e que raramente digo a não ser quando estou chateada para morrer.
Palavrões com "C", com "F", com "M" e com todas as letras do abecedário.
A Cíntia, que tinha tido um dia pior que o meu, ainda foi quem me acalmou.
"Ana, o nosso deadline é amanhã dia19. Ainda nada está perdido. Estamos tristes mas isto vai resultar".
Dormi com o coração pesado, e na manhã seguinte fomos fazer juntas a impressão dos últimos Giggles. Depois de tudo deixado nos correios, respirámos fundo e enviámos um email a todos os nossos clientes.

When I finally got to her home, we were nervous for such a terrible day. The help from her sister, her sister husband and Cíntia's husband couldn't have come in better time. Things had to be at the post office today. So at her living room, we were like machines working. Cíntia was cutting, I was making the perforations, Antonieta and her husband Edgar were taking care of the ready Giggles and setting them on their Giggles boxes with the styrofoam bubbles, Sérgio was setting the Giggles boxes on the boxes that we could save from the big destroyed one, I was writing the addresses and Cíntia made the double check, so that we wouldn't get anything wrong.
The mail post office at Restauradores in Lisbon closed at 10pm, so we had two hours to have everything done.
In the middles of our assembly line, I ruined one of the picture stripes with the manual perforation tool.
"I can't believe it" - said Cíntia.
I let my arms fall, quitting. I was nervous, and really tired, and so was she.
"Ok, it's ok, Ana Luisa, we can still print this one tomorrow and send it, it will arrive on Monday, so we'll be fine. Don't quit." - Said my good friend.
So there were three to finnish the next day. It was 9:30 pm, and we believed I could still arrive at Restauradores in time. 
I got in the car. Everything was in my hands now.
I confess, I flew through the A5, but still found some traffic in Lisbon. When I parked at the Restauradores parking lot, it was 9:55pm. I ran to the post office doors, and the security man was closing them as I was going in at 9:59pm. "Miss, I am sorry but you can't come in, we are closed".
"No, please, please, I really need to send this tonight, please, give me a chance...one minute." - I said.
"We can't miss, the red delivery truck that was on the door is living now and there is nothing we can do".
"There was no red truck at the entrance, I just came from that side. Please, sir, you never send the truck at 10pm sharp, just give me a chance..."
I don't know if it was because of the rain outside, or because of my panicked face, but the security sir decided to take the chance, and turner to the three people who were at the counter. He called one of them.
"What?!" - said the man, in a really undisposed way.
"There is a girl here, who really needs to send a package today to arrive in time for Christmas."
"I can't do anything for her. We are closed. Its 10:02." - said the man.
The security faced me and said he was sorry. So I took my chances too, and screamed inside the post office: "Please, I am so sorry, I understand that you've had a long long day, I am not having a great day myself, if you could please help me I would be forever grateful. Please. For five minutes, there could be an exception".
None of them even looked at me. They didn't even look. I knew that the Cabo Ruivo post office would close at 11pm, but our account was on this post office. It had to be there.
"I am sorry miss, I have to lock the doors now". Said the security.
I turned my back and I cried. I cried for all the stress I had in me, I cried for the nerves, for thinking that I had failed, I cried because ever since we decided to start Giggles, all we had has was "no", lacks of professionalism, delays. How could something that was born out of so much love be treated like this?
I called Cíntia, and out of my mouth came all the bad words in the world. Some of them, I don't even ever say. "F" word, "S" word, you name it.
Cíntia, whose day had been even worse than mine, was the one calming me down. "Ana, our deadline is still tomorrow. Nothing is lost. I know we are sad, but this is going to work".
I slept with a heavy heart that night, but on that next morning we printed the last Giggles, and left everything at the post office. Then we sent an email to our clients, saying their orders were on their way.



No meu carro, olhámos uma para a outra e rimos. Porque depois de uma aventura assim, rir é a melhor cura para espantar todos os males.
Rimos dos meus palavrões na noite anterior, rimos ao relembrar a Cíntia sentada no chão da gráfica (já mencionei que ela tem de estar sentada o máximo de tempo possível, não já?), a desesperar com cada má impressão que saía.
Estávamos preparadas para o Natal e para um merecido descanso. Aprendemos muito desta experiência. Aprendemos muito sobre tempos de montagem de cada caixa, aprendemos muito sobre organização, aprendemos muito sobre contacto com o cliente, aprendemos muito sobre os correios, sobre as encomendas e sobre como funcionamos uma com a outra. Aprendemos muito com o nosso stress e com até quanto é que aguentamos a pressão do momento.

In my car, we looked at each other and we laughed. Because after an adventure like this one, to laugh is the best cure to any evil.
We laughed at my cursing last night, we laughed at the thought of Cíntia sitting my the floor when we were waiting for the Giggles to be printed out.
We were now ready for Christmas and to rest. We learned a lot from this experience. We learned about the time we need to make each box perfect, we learned about keeping everything organized, we learned a lot about customer service, about post offices, and about how we deal with each other. We learned about how each deals with stress and until when we can keep up with the pressure of the moment.



Surgiram muitas ideias novas para o ano de 2014, ideias para novos clientes, ideias para produtos, para um site bonito e para conseguirmos fazer disto algo mais do que um pequeno negócio à parte.
Em meu nome e da Cíntia, queremos agradecer a todos os que acreditaram em nós, a todos os que gostaram da nossa página e a todos os que fizeram chegar palavras de força e de carinho.
Agradecemos aos que nos ajudaram muito a fazer deste projecto algo palpável, em especial ao Sérgio, à Nieta e ao Edgar.
Agradecemos a todos aqueles que ao receber a caixinha Giggles, nos deixaram uma foto e um comentário feliz, e de pura satisfação. É para vocês que este projecto existe. Para vos fazer felizes, criar momentos especiais, trazer ao de cima memórias boas.
Mal podemos esperar pelas aventuras que 2014 nos vai trazer.
E se nos esperam dificuldades, barreiras e tempestades, bring it on. Estamos prontas.
Love, Lu*

We have tons of new ideas now for the year of 2014. Ideas for our clients, ideas for new products, for a pretty web site, and for making this small business something bigger than just a part-time job.
On my behalf and Cíntias, I want to thank everyone who believed in this project, a big thank you to everyone who liked our Facebook page, and to everyone who always had a sweet word of support to give us.
We really thank those three people who made it happen with us, Sérgio, Nieta and Edgar. We couldn't possibly have made it without you.
We would also like to thank everyone who sent us a picture of their Giggles boxes. This project of ours was made for you, thinking of you, of the special moments we and to help you create, and the memories we want you to have in your hands, to cherish and love.
We can't wait for 2014 and for all the new adventures.
And if there is difficulty around the corner, walls and storms, bring it on. We are ready.
Love, Lu* 

4 comentários:

  1. uma vez mais volto a dizer aquilo que já disse várias vezes, és uma lutadora :) e este projecto é prova disso, apesar de tantos percalços foste em frente e o resultado está à vista :) muitos parabéns a ti e à tua sócia, que agora seja sempre a bombar e a espalhar caixinhas :) **

    ResponderEliminar
  2. Um dia destes faço um post no meu blog acerca da Giggles!!! Adorei!!!
    Ao ler esta azáfama toda a Giggles ainda tem mais significado...até agora desconhecia toda a história para conseguirmos as nossas caixinhas até ao Natal!!!!!
    O sortudo que recebeu a minha Giggles gostou muito!!!!!

    Obrigada mais uma vez às duas....vocês são espectaculares...e apesar do início conturbado e cheio de peripécias....vejo um futuro brilhante!!!!..como pessoas como vocês!!!! ;) (Só conheço pessoalmente a Ana!! Mas imagino que a Cíntia seja também uma excelente pessoas!!!)

    Muito sucesso!!!!....
    Beijinhos e votos de um ano 2014 cheio de boas energias....

    Joana

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Ana e Cíntia por criarem coisas bonitas que fazem sorrir. Dão expressão aos tesouros que são as preciosas memórias de cada um.

    ResponderEliminar