State of the art... (in English very soon!)

Olá amiguinhos!
Hoje decidi que tinha de fazer um balanço... Têm acontecido tantas coisas boas deste lado! Desafios loucos, barreiras giras.
Há certas alturas em que passada uma fase doida paramos e pensamos em tudo. No trabalho, na vida pessoal... E eu não poderia estar mais feliz.
Terminou o ano lectivo na escola onde dou aulas. Para mim, este é o primeiro ponto de balanço que vos quero fazer, e aquele com o sabor mais agridoce: Há cerca de 3 meses informei a escola que não continuaria a leccionar para o ano que vem. Tive muita vontade de chorar, mas tinha de ser feito. O trabalho na Starling e na Giggles tem-me preenchido como nunca imaginei ser possível depois de dois anos a lutar por ter negócios próprios. Estava simplesmente a começar a ser difícil conciliar tudo, e querendo eu sempre dar o meu melhor em cada projecto onde me meto, senti que era um acto de competência e de carinho ao local onde trabalhava dizer-lhes que estava na hora de me afastar, para que outra professora ou professor pudesse conhecer aqueles estudantes lindos, os colegas professores e funcionários queridos, e que pudesse entregar-se com ainda mais dedicação.
Com o trabalho a crescer, começou a ser complicado conciliar tudo de forma saudável, e as noitadas começaram a repetir-se incessantemente, o que me provocava um cansaço muito grande. Fiquei tão triste de anunciar que tinha de me ir embora, sabendo do papel fulcral que a escola teve no meu desenvolvimento enquanto pessoa, e claro, financeiro. Aprendi a ensinar, aprendi a aceitar melhor as diferenças, aprendi a aceitar pequenos gestos como as coisas mais lindas que alguma vez me tinham acontecido. Terminar um ano lectivo é sempre uma tarefa difícil. Sinto já saudades dos meus alunos, e saber que não continuarei a dar-lhes aulas para o ano que vem deixa-me triste. Ao mesmo tempo, deixar a escola traz-me uma sensação grande de vitória pessoal, porque ainda mais perto de ser free-lancer a full-time. Sinto que chegou a hora. Foi por isto que lutei tanto durante dois anos intensos de batalhas, de comunicação, de vídeos e de fotos... Poderei dedicar-me mais tempo aos novos projectos que estão para chegar (ai ai ai! preparem-se!!) e posso também tentar descansar mais, se o meu cérebro que nunca pára mo permitir. Obrigada colegas, pelo apoio, pelos ensinamentos, por acreditarem em mim. Obrigada alunos, por me verem como professora e amiga, pelas confidências, pelos gestos queridos, pela forma aliciante como me deixaram ensinar-vos o que sei!

No meu balanço tenho também de ter a We Hate Tourism Tours.
Tornar-me driver nesta empresa foi das melhores coisas que me poderiam ter acontecido este ano. É neste momento o trabalho mais "saudável" que tenho no que toca a sair à rua e a respirar cá fora.
As tours fazem-me largar o computador, tarefa que eu não sei fazer a não ser que tenha de ser (desculpem a redundância). Ser freelancer e tentar lançar os nossos próprios projectos é uma tarefa muito dura, e muitas vezes sentia culpa, ou que estava a ser desleixada se saísse do computador para apanhar ar, para descansar um bocadinho. Tenho este problema: sou workoólica, e muitas vezes, nas folgas (se as tiro), sinto que não sei o que fazer! Sinto-me um autêntico bicho do mato que só sabe falar de trabalho e de emails!
As tours vieram fazer-me sentir bem em relação a isso, e ao mesmo tempo, aquilo que recebo não tem valor quantificável. Sim, estou a trabalhar, e recebo um pagamento por cada tour... mas mais do que isso, tenho a possibilidade de ser criativa, posso inovar, recebo o carinho das pessoas que viajam comigo na carrinha, mostro-lhes a minha Lisboa, levo-as a jantar fora, falamos sobre as diferenças dos nossos países, vamos à praia, ao campo, à cidade. Tal como na escola, mais do que ensinar, são as experiências humanas que contam. Na We Hate, sinto que faço a diferença na vida destas pessoas, e que quando chegam a casa e pensam em Lisboa, lembram-se daquilo que lhes proporcionei. Ao mesmo tempo, e sem saberem, também eles, os turistas, me fazem bem.




A Giggles tem sido outra aventura tão divertida!
Estamos com o próximo produto prontíssimo a lançar. Trabalhar com a Cíntia tem sido um máximo, e não poderia ter melhor parceira. O seu sentido de organização e insistência com emails para fornecedores, a sua capacidade de design complementam tudo aquilo onde não sou nada boa. Ela consegue dar forma às minhas ideias loucas, tem uma paciência doida para emails sobre papel, canetas, caixas.
Temos tido desafios doidos onde aprendemos muito, como uma encomenda que fizemos da China que depois na Alfândega nos custou mais que o próprio produto em si. Living and Learning, é o que dizemos uma à outra. Temos planos muito bonitos para esta nossa marca, e gostamos tanto de vos ter desse lado! (Não se esqueçam que estamos a sortear internacionalmente uma Instax Mini 8 da Fujifilm!!)
E não, não nos esquecemos do vídeo do GiggleSutra. Está amoroso e procuramos agora a data perfeita para o lançarmos :)

Por fim, a Starling Film... o meu bebé que tem crescido tanto. Obrigada a todos os que acreditaram em mim. A Starling está em processo de mudança, e acho que vai para um local melhor e mais bonito. Assim que dormi 8 horas seguidas pela primeira vez em muitos meses, acordei com vontade de a fazer crescer. Nasceram parcerias das quais vão saber em breve, o site vai mudar, e os trabalhos vão ficar mais segmentados.
Comprei finalmente material novo. Pensar que há dois anos atrás foi o Miguel quem me ajudou a comprar a minha primeira máquina (semi-profissional), e que agora tenho material meu, parceiros, fotógrafos e videógrafos que trabalham comigo. É incrível. É tão bom.
Arrisquem. É difícil. Muito, muito difícil. É muito duro, não vos vou mentir. Mas depois, ao trabalharmos arduamente no que gostamos e no que nos faz feliz, não há como não ter resultados. No início pequeninos, mas depois cada vez mais giros.
Espero não vos ter aborrecido. Mas queria ter este balanço aqui escrito, para aqueles dias duros e em que me vou abaixo (que por vezes acontece), quando me questiono em porque é que não tenho um trabalho normal, das 9h às 17h. Quando me questiono porque é que não sou já como a maior parte das minhas amigas com a vida resolvida, casadas e com filhos. Isto é para me poder lembrar de tudo o que já conquistei, e tentar dar valor às pequenas grandes coisas que vão acontecendo. Que terei tempo para tudo... só leva é mais um bocadinho... porque dou uma importância desmedida à minha vida profissional. Às vezes escrever faz bem mesmo por causa disto... sei que num desses dias cinzentos, me vai puxar para cima ler estas coisas e saber que tudo se resolve.
Love, Lu*

Fotos de // Photos by: Marta José
Make up: KIKO Cosmetics by me
T-shirt: H&M
Calças // Jeans: Pull&Bear
Peça de cabeça // Head Piece: ZARA
Pulseira // Bracelet: PRIMARK
Chinelos// Flip Flops: Feira Vintage // Vintage fair

8 comentários:

  1. As fotos estão fantásticas e os projectos a crescer - tudo de bom! :)

    ResponderEliminar
  2. Tão bom saber e ir acompanhando consigo essas mudanças. Será que um dia poderei fazer o mesmo? Espero que bem que sim, será o meu salto e também ficarei feliz com ele, de momento fico imensamente feliz por você! Não me canso de achar estas fotos lindas. Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Parabéns! Uma mulher cheia de força e atitude, é assim mesmo.
    O caminho faz-se caminhando, sem pressas e a aproveitar cada momento.
    beijinhos*

    http://checkout-fashion.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. És uma inspiração Ana :)

    Felicidades para os teus projetos.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Gostei tanto deste style post, Lu! Tanto do outfit como das fotos da Marta, que têm sempre imensa magia e um cunho pessoal que já consigo reconhecer à primeira. :)

    Quanto ao tema que nos trazes neste post, bem, sou-lhe bastante sensível.Sinto que estou a passar por um período de transacção - embora bem diferente do teu-, portanto muitas das coisas que aqui escreveste fizeram especial sentido para mim hoje.

    É muito bonito ver como tens conseguido criar todas estas coisas por ti mesma e pela força do teu trabalho e personalidade; és verdadeiramente inspiradora. Mas sabes, por outro lado também é muito benéfico para nós deste lado ver que tudo teve as suas dificuldades. Ter presente que nem tudo (ou quase nada) vai funcionar de forma perfeita (e com pouco trabalho) logo à primeira é importante para não nos deixarmos desanimar. No meu caso, fico super feliz por ver através de ti como a perseverança compensa na nossa vida profissional. :D*

    www.joanofjuly.com

    ResponderEliminar
  6. A mim não me aborreces nada com este tipo de posts. Tenho tido o privilégio de acompanhar cada um destes projectos desde o início e é fantástico ver os vários bebés a crescerem e a darem os primeiros passos... É muito bom de ver isso a acontecer a ti, que tens lutado tanto e tens demonstrado tanta garra e determinação. Inspiras-me muito, nos meus dias em que estou cansada, desorientada e sem saber o que fazer a seguir, lembro-me do teu exemplo e sinto-me mais capaz e confiante também. Ainda hei-de ser como tu quando crescer! :)
    As fotos da Marta para não variar estão maravilhosas, ela capta-te com uma intensidade muito própria. E reconheço ali um adereçozinho numa das fotos! É tão bom saber que gostaste do teu presente!

    Que os próximos passos tragam ainda mais alegria e surpresas boas.
    Beijinho grande minha querida*

    ResponderEliminar
  7. O que é que a tua tatuagem diz?
    Como é que se pode procurar emprego para dar aulas? Quais os requisitos necessários? Como é que preparas as aulas?

    Adoro o teu blogue, os teus projectos

    ResponderEliminar
  8. Olá, Ana :)

    Descobri o teu bloque através de uma partilha no facebook e partilhei o teu post sobre o bullying que sofreste na escola. Também eu sofri alguns anos, embora não considere que tenha sido verdadeiramente bullying, com os comentáros menos agradáveis dos colegas e, devido sobretudo a um desses comentários, tapei com a mão o meu sorriso durante algum tempo. Até me decidir a ser livre, uma manhã em frente ao espelho. E isso traz-me até este teu balanço, tão bom de ler, onde mais uma vez revelas uma forma de liberdade e das mais recompensadoras que existe.
    Identifico-me bastante contigo, pois também eu sou professora, também eu adoro os meus alunos, mas também eu comecei há pouco tempo um caminho que, eventualmente, me levará para outros destinos que não a sala de estudo onde trabalho. Ja guardei o teu blogue nos favoritos e sei que este post, em especial, me vai lembrar de que há momentos mais difíceis, mas que eu hei-de chegar lá.
    Deixo-te aqui o link para conheceres o meu projecto que ainda é pequenino, mas é o meu mundo neste momento: http://www.paperlovetoys.com

    Desejo-te tudo de bom ;)

    (Inês)

    ResponderEliminar