Canecas de Aguarela DIY // Watercolor Mugs DIY


Olá docinhos! Aqui Fedra, com mais um DIY e inspiração para novos projetos.
Sou apaixonada por aguarelas. A forma natural como o pigmento se “move”, fascina-me. Acho que peças em aguarelas resultam sempre em trabalhos delicados e etéreos com cores transparentes e ainda assim vibrantes. Dedicar-me a esta técnica é algo que quero fazer em breve. Para já tenho procurado alternativas à aguarela e esta ideia de criar falsas aguarelas com verniz para unhas, pareceu-me super criativa e claro que tinha que experimentar!


Usei canecas de cerâmica para experimentar estes salpicos de aguarelas, mas tenho a certeza que me vou aventurar noutros suportes. O resultado final é simplesmente bestial.


Para este DIY vais precisar de: Caneca cerâmica branca, taça descartável, um palito e verniz para unhas.

Enche a taça descartável com água morna.
Adiciona uma gota de verniz para unhas e deixa-o espalhar-se. Se juntares uma segunda cor, deita algumas gotas no centro.
Usa um palito para ciar o efeito marmoreado pretendido. Aqui a rapidez é amiga da perfeição, porque mal o verniz toca na água começa a criar uma pelicula que seca muito rapidamente.




Mergulha uma parte da caneca na água e retira de seguida, cuidadosamente.
Podes usar removedor de verniz ou acetona para remover qualquer excesso de verniz nas zonas em que que tenha ficado mais confuso ou dentro da caneca.
Coloca a caneca a secar, numa base de papel absorvente.
Podes repetir com outras cores.
Quando chegares ao look pretendido, deixa a caneca secar pelo menos duas horas.




Esta é uma técnica relativamente simples, mas que requer algumas tentativas até acertar no ponto pretendido.
Penso que a qualidade dos vernizes utilizados vai influenciar a durabilidade dos desenhos, mas é sempre possível utilizar verniz para cerâmica, para selar as falsas aguarelas. Por este motivo, recomendo a lavagem destas peças à mão. Eu deixei as minhas secar de um dia para o outro, já as lavei, utilizei e continuam ótimas.




Bons projetos!!
Xoxo,
Fedra
(Autoria e fotografia)


Hello sweeties! Here Fedra, with another DIY and some inspiration for your new projects.
I really love watercolors. The natural way the pigment "moves" fascinates me. I think watercolor art are always delicate and ethereal works with transparent yet vibrant colors. Trying this technique is something I want to do soon. For now I have searched alternatives to watercolor and this idea of ​​creating faux watercolors with nail polish, it seemed super creative and of course I had to try it!
I used ceramic mugs to do these faux watercolors splashes, but I am sure that I will venture on other pieces. The end result is simply great!
For this DIY you'll need: White ceramic mug, disposable bowl, a skewer and nail polish.
Fill the disposable cup with warm water.
Add a drop of nail polish and let it spread. If joining a second color, put a few drops in the center.
Use a skewer to get the desired marbled effect. Here the speed is a friend of perfection, because soon as nail polish touches the water begins to create a film that dries very quickly.
Dip your mug into the water and remove it carefully.
You can use nail polish remover or acetone to remove any excess nail polish in more confused parts or inside the mug.
Place the mug to dry on a paper towel base.
You can repeat the process with other colors.
When you get the desired look, let mug dry at least two hours.
This is a relatively simple technique but it requires a few attempts to hit the desired point.
I think the quality of the varnishes used will influence the durability of the drawings, but you can always use finish spray for ceramics, to seal the piece. For this reason, I recommend washing these pieces by hand. I let mine to dry overnight, I have washed and used it and it still looks great.

Xoxo,
Fedra
(Author and Photography)

Banana & Chocolate Smoothie with homemade almond milk


Olá docinhos, aqui Fedra do Botão Doce! Estou super entusiasmada em partilhar convosco duas receitas simples e deliciosas: Leite de Amêndoa caseiro e um Smoothie saudável e divinal!
O leite de amêndoa é algo que há muito queria experimentar fazer em casa. Tenho investigado e existem várias formas de o fazer. O método que escolhi foi com a cafeteira de prensa francesa, um utensilio que tenho há muito tempo mas que só recentemente descobri. Resultou na perfeição!
Para o leite de amêndoa caseiro são necessários apenas três ingredientes: amêndoas já picadas ou inteiras, água e uma pitada de sal.
Cobre as amêndoas com água, tapa e deixa demolhar de um dia para o outro ou pelo menos durante 12 horas. No dia seguinte escorre as amêndoas, pica-as no liquidificador e coloca-as na cafeteira francesa, junta água, mexe e deixa assentar (da mesma forma como se faz o café nestas cafeteiras). Por fim coloca a tampa com a prensa e pressiona bem até ao fundo. Depois é só apreciar o leite que fica no topo. Garanto-vos que é delicioso.

Aproveitei e fiz um smoothie bem simples e fresquinho, sem açúcar e sem lactose, para um pequeno-almoço de campeões.

Smoothie de banana e chocolate (com leite de amêndoas)
1 banana grande congelada
2 chávenas de leite de amêndoas
½ chávena de flocos de aveia
½ chávena de gotas de chocolate
1 colher de chá de extrato de baunilha
Uma pitada de canela

Mistura todos os ingredientes no liquidificador na velocidade máxima e processa até ficar homogéneo.
Xoxo
Fedra
Autoria e Fotografia

Hi friends! This is Fedra from Botão Doce blog!
Homemade almond milk is something that I wanted to try for a long time. I done my reserch and there are several ways to do this at home. The method I chose was to use a coffee French press, a utensil that I have for a long timebut only recently discovered. It turn out perfect!
For doing homemade almond milk you only need three ingredients: already chopped or whole almonds, water and a pinch of salt.
Top almonds with water, cover and let soak overnight or for at least 12 hours. The next day drain and rinse almonds, and place them in a blender and blend until the almonds are well processed. Then place them in the French press, add water, stir and let sit (in the same way as if making coffee in these coffee makers). Finally put the cover with the press and press well until the bottom. Then just enjoy the milk that sits on top. I assure you that is delicious.
Then I made a super easy and fresh smoothie without sugar or lactose, for a champions breakfast.


Banana and chocolate smoothie (with almond milk)
1 large frozen banana
2 cups almond milk
½ cup of oatmeal
½ cup of chocolate chips
1 teaspoon vanilla extract tea
A pinch of cinnamon 

Mix all ingredients in a blender at full speed and process until smooth.
Xoxo
Fedra

Author and Photographer

On planning a wedding - Expectations


Tenho estado a planear o nosso casamento durante os últimos 4 meses. Não é uma tarefa fácil, e eu sempre soube disso. Mas quando comecei, confesso que achei que seria bem mais divertido do que tem estado a ser.
Deixem que vos diga que até já passei pela fase de querer desistir da festa umas três vezes... e as minhas madrinhas convenceram-me a não o fazer, que no final tudo valeria a pena.
Mas houve dias em que me senti realmente frustrada, cansada de tudo, de contactar pessoas, visitar locais, pedir orçamentos. É muito trabalho para um único dia em Setembro.
Eu estava tão frustrada de estar a fazer tudo sozinha, de estar tudo a demorar tanto tempo, tentar falar de detalhes com o Miguel no Skype era uma dor de cabeça, porque ele é bem mais relaxado que eu, não estávamos na mesma página, e na verdade, uma data de coisas não interessam mesmo para nada. Ele está em África, a trabalhar, com tantas coisas bem mais importantes para fazer do que falar de decoração ou de flores estúpidas. Porque é que eu até o andava a chatear com estes detalhes de miúda?



Foi num destes dias, que por fim, me bateu o grilo falante à porta da consciência. Eu percebi qual é que era o meu grande problema e o que é que me estava a apertar tanto o coração... a razão de estar tão frustrada e zangada e de não querer já fazer festa nenhuma:
Expectativas.
Eu estava com expectativas tão altas e tontas para o planeamento desta coisa toda. Eu esperava conseguir planear todo um casamento alternativo em apenas 4 meses. O tempo que o Miguel estaria fora.



Eu andava a meter tanta pressão em mim mesma para ter esta festa perfeita num espaço de tempo tão pequenino.
Se eu fosse para locais já preparados para casamentos, sim, seria bem mais fácil. Estes sítios já têm tudo pré-preparado... os menus, a decoração, os espaços, o som. Mas nós queríamos uma coisa totalmente diferente e que fugisse ao tradicional... por isso porque é que eu andava com tanta pressão para ter tudo em 4 meses?
Assim que me apercebi de que não sou nenhuma Luisa de Matos, comecei a relaxar um bocadinho e comecei a ponderar numa data de assuntos que me deixaram mais leve. Eu sou apenas uma miúda, e precisava de me sentar e de me organizar para não dar em maluca. E Deus ma livre se me torno uma bridezilla. Eu NÃO serei uma bridezilla.

Por isso, aqui estão as 8 coisas que aprendi sobre expectativas ao planear a nossa festa:
1- Tempo. Ainda temos 5 meses pela frente para organizar esta coisa. Vamos fazer o melhor que pudermos com o tempo que temos. Os amigos e a família vai gostar, não importa o que conseguirmos fazer.
2- Perfeição. Esta festa não tem de ser perfeita. Porque no final, vai ser perfeita com o que quer que tenhamos.
3- Pressão. Eu não vou voltar a meter tanta pressão em cima de mim como antes. Especialmente porque não vou voltar a tentar fazer tudo sozinha. Se houve uma palavra mágica que aprendi nestes quatro meses foi DELEGAR! Delegar tarefas é o melhor que se pode fazer na preparação de um dia com tantos momentos. E se os amigos e família querem ajudar-nos, porque raio é que estava a tentar fazer de tudo uma surpresa? Não vão gostar ainda mais da festa se a festa também for deles? Quando comecei a pensar neste casamento que fotografei no ano passado, tudo ficou claro. Depois, há uma coisa que agora não prescindo: Encontrar uma wedding planner!
4- Esperar. Porque é que eu estava a tentar fazer até as partes mais divertidas sozinha? Eu decidi passar a esperar um bocadinho, e agora, a partir de dia 18 deste mês, já com o Miguel cá, vamos começar a provar as delícias de menus que nos têm feito até encontrarmos o que mais gostamos. Acho que isto vai ser super divertido... e vai meter algumas bebidas à mistura... e estou ansiosa para que as provas comecem! yay!
5- Budget. Encontrar o nosso budget. Mantermo-nos dentro do budget... o melhor que pudermos.



6- Opiniões vs Decisões. Nós adoramos feedback, e vamos ouvir e aceitar toda a ajuda que tivermos. Mas no que toca a decisões, aprendi que esta festa acima de tudo tem de reflectir quem nós somos. Não queremos olhar para trás e pensar que não fizemos certas coisas na nossa festa porque essas coisas não são "normais". É um casamento alternativo. Não vai haver bolo, a comida vai ser vegetariana, Eu não vou vestir branco, não quero bouquet, ele não vai usar fato, e provavelmente vai de tennis ou de chinelos. Não queremos um sítio tradicional, não vai haver igreja nem civil. Uma grande amiga vai casar-nos. Há pessoas que não vamos convidar e não gostamos de lhe chamar casamento e sim a "festa".
E isto não deveria ser um problema, porque é quem nós somos. Eu ficaria desolada de não poder levar o vestido que gosto só porque não é um vestido de casamento normal. No final, a festa vai reflectir quem nós somos, e não o que é "tradicionalmente certo e aceitável".
7- Pensar como um rapaz (como o meu rapaz). Nas minhas conversas com o Miguel aprendi que há realmente uma data de coisas de que não precisamos. E quando percebi isso, relaxei instantaneamente. Aprendi que por vezes tenho de fazer o exercício "O que é que o Miguel pensaria disto?" e se a resposta for "Ele quer lá saber" (ou "ele tá-se a cagar"), então eu provavelmente também não vou querer saber.
Porque na maioria das vezes até são detalhes que ninguém quer saber. São bonitinhos e fofinhos, mas na maioria das vezes são coisas onde não vale a pena estourar o budget nem gastar tempo com DIY.
Vamos dar importância aos detalhes que realmente importam.
8- Relação. Conheço tantos casais que se zangaram n vezes ao longo da organização das suas festas. Eu não quero que isso aconteça connosco. A maior parte das vezes em que fiquei irritada com o Miguel aconteceu porque estava tão dentro dos planos que quando abria a boca para falar com ele sobre tudo ele era tão inundado de palavras que a cabeça fritava literalmente.



Acho que o mais correcto, é planearmos um momento do dia, ou uma noite (com garrafas de vinho e música gostosa), e falarmos de todos os detalhes. Depois dar tarefas a cada um e mais tarde, voltar a fazer o mesmo. Trazer ao de cima, todos os dias, a converseta do casamento... é que não há paciência. Eu própria já nem me conseguia ouvir em pensamentos, quanto mais ele. Cada vez que falávamos no Skype vinha a festa ao de cima. Que valente seca. Quando começámos a ter momentos para falar disso, abriu-se o espaço para falarmos de 30.000 outras coisas.
Não estou a dizer que somos perfeitos nisto... mas estamos 100 vezes melhor.

E vocês? Isto são coisas por que passaram ao planear os vossos casamentos? Aprenderam alguma coisa útil no processo que possam partilhar comigo para passar a ter "10 coisas que aprendi sobre expectativas?"
Se estão também no processo de organizar a vossa festa, isto ajudou em alguma coisa? Contem-me o que é que estão a passar!

Love, Lu*

PS: Fui fazendo confettis durante o Masterchef Australia (que acaba hoje). Outra coisa que aprendi é que fazer confettis é um valente anti-stress. Destruir papel com cortantes enquanto se vê tv... perfeito.
Obrigada ao Miguel, que ainda fez alguns antes de ir para Angola, obrigada à Mi que me ofereceu os cortantes e ao Filipe, que também andou a brincar a estas coisas. Não acreditamos no desperdício de arroz nas festas de casamentos. Por isso, vamos aos confettis de estrelinhas e notas musicais. Uma Lu e um Miguel, em papel.
PS: Só usamos restos de papel de embrulho do natal e a Dica da semana que vem cá parar a casa! hahahahah!



I've been trying to plan our wedding for the past 4 months now. It's not an easy task. I always knew that, but when I started, I confess I thought it would be much more fun that it actually is.
Let me tell you that I've actually been through the phase of not wanting to do the party at all... like... three times or so, and my bridesmaids convinced me to stick with it, and that it will all be worth it. But there were days when I felt so tired of all of it, contacting people, visiting places, asking for budgets. It's a lot of work for just one day in September.
I was so frustrated to be doing it all by myself, things taking so long to actually happen, talking about details with Miguel on Skype and realising he was so relaxed when I wasn't and that to him a bunch of stuff didn't really matter. Sometimes I hung up the call angry because I didn't feel like we were on the same page. He is in Africa, working, with so many much more important things to do at the moment than to think about decor or stupid flowers. Why was I even bothering him with girly details?
Then, one day, I finally realised what my problem was... Why I was feeling so frustrated and angry and wanting to not do this wedding anymore:
Expectations. 
I had such high expectations regarding the planning of this thing. I expected that I could actually pull off an alternative wedding in four months, the time Miguel would be in Africa.
I had been putting SO much pressure on myself to get this wedding to be perfect and in such a small amount of time.
If I had gone with the wedding prepared spaces, probably, yeah, I could have done it in little time. They have everything from the space to the decor, to set menus, to the sound system, etc. But we wanted something completely different, so why was I putting the pressure on myself to have it all done in four months?
As soon as I realised I was not a magician, I instantly started to relax a bit. I am only a human, and I needed to get things straight with my inner self so that I wouldn't go crazy, drive others crazy, and I'd be damned if I'd become one of those bridezillas (or britches) I see on TV. No sir. I WILL NOT BE A BRITCH.

So here are the 8 things I learned on expectations for planning this big day:

1- Time. We have 5 months to organize this thing. We will do the best we can with the amount of time that we have. Friends and family will love it no matter what.
2- Perfection. It does not have to be perfect. Because in the end, with whatever we have, it will be just perfect.
3- Pressure. I shall not put pressure on myself again like I did before. Specially because I will not try to do it all by myself again. If there was a magical word I learned this past four months was: DELEGATE. And if there are friends and family wanting to help, why should we keep everything a secret for the big day? Won't they even feel more special if they help us and make the event theirs as well? When I remembered this wedding I photographed, it all became clear. Then: find a wedding planner!
4-  Wait. Why was I trying to do all the fun parts by myself? I decided to wait a bit longer, and now on April 18th me and Miguel will start tasting the food and the drinks together. I believe this will be a lot of fun, and the word booze makes us want to do it together. I don't know... it just does! hahahaha!
5- Budget. Set a budget. Stick to it... the best you can.
6- Opinions vs Decisions. We love feedback, and we will accept all the help we can get. But when it comes to final decisions, I learned that the event has to reflect who we both are. We do not want to look back on this day and regret that we didn't do something because that something "was not normal". It is an alternative wedding. There will be no cake, the food will be vegetarian, I will not wear white, I do not want a bouquet, he does not want a suit and he is thinking about wearing tennis shoes or man sandals, we do not want a wedding traditional spot, or church or city hall, a friend will marry us. There are people we will not invite  and we hate calling it "the wedding" when we see it as "our big party". And this should not be a problem for us, because it is who we are. I would be so sad to not wear the dress I like because a bride should always wear white. In the end, we want the party to reflect who we are and not what's known to be the absolute right.
7- Think like a boy (like your boy). In my conversations with Miguel I learned that there are a few things we don't really need to have. And when I gave in, I instantly felt lighter. I realised that sometimes I should do the exercise "what would Miguel think about this" and most of the times it is "he doesn't really care about that", so then I don't either. Because mostly, they were just silly details that were putting more pressure on me. Like the "bride and groom" signs on the backs of our chairs. Who cares, really? Its a funny beautiful detail, but we are not even planning on sitting much, so its money we don't want to spend, or time DIYing on it. We will focus on whats important and on the details that are fun and reflect us.
8- Relationship. I know so many couples who got so mad at each other while planning their big parties. I don't want that to happen to us. Most of the times I got angry at Miguel were because I had been so into planning this thing that when information exploded in his head he was completely off guard. Deciding things together and when the time is right is the best we can do. Set a night, get a bottle of wine, write whats important to do and what we want, and use that night to talk about it. Don't over talk about the wedding every day. At the beginning I was exhausted with myself because it was all I could think about. And our Skype talks always had wedding details. When we stopped doing it all the time, but setting a right time for it, we stopped arguing, we stopped fighting. I mean, I am not saying we are perfect at this, but we're 100 times better.

What about you? What are the things you've gone through while planning your own weddings, and what have you learned from this process that could help me get to 10 things I learned?
If you are also planning your "big party day", did this help? Are you facing any of my challenges too?

Love, Lu*

For the sweet tooth in you...


Esta é a Vesuvio bakery.
É amorosa, e tem exactamente o tamanho que teria a minha pastelaria. Pequenina e reconfortante.
Já lancharam hoje? Eu vou agora mesmo... Infelizmente não é em Nova Iorque, mas por hoje, Lisboa serve!
Love, Lu*

This is Vesuvio bakery.
It is the sweetest thing and has the exact size my small pastry shop would have. Small but comforting.
Have you had an afternoon snack already? I am on my way to have mine... Unfortunately, its not in NYC. But today, Lisbon serves just as right!
Love, Lu*

Vesuvio Bakery
160 Prince St, New York, NY 10012

Fiz uma compra de impulso... // I did an impulsive purchase...


Quando vos escrevi este post, estava longe de prever que algo deste tamanho nos iria acontecer.
Ok, indo directa ao assunto: Comprámos uma carrinha à We Hate Tourism Tours. A-MINHA-CARRINHA-PREFERIDA. Aquela que eu sempre amei conduzir durante as tours.
Foi de impulso, mas era algo que já pensávamos ter desde que começámos a namorar.
Uma carrinha, que pudéssemos chamar de segunda casa, para simplesmente partirmos porque sim, e podermos levar os gatos connosco.
Há uma semana atrás, fui buscar o meu carro à oficina, que é onde as carrinhas da empresa também vão, e em conversa com um dos sócios, percebi que a minha carrinha preferida estava para venda, e que nesse mesmo dia ele era capaz de a vender.
"Pensei... a amarela? A... a... a minha preferida? A amarela?? Aquela onde já tenho tantas histórias giras ao mostrar Lisboa e arredores a pessoas de todo o mundo?"
Disse-lhe: Não faças nada até à hora de almoço. Acho que ela vai ficar nossa!
Ao que ele respondeu: Aninhas, se ela ficasse na família, era um sonho para a WHTT!
Enviei mensagem ao Miguel: "Carrinha amarela, da WHTT, para venda, por este preço. Posso?"
Recebi mensagem dele quase de imediato: "É nossa".


Hoje assinámos os papéis, e sou proprietária de uma van de 9 lugares. Com ela, vou buscar o Miguel ao aeroporto, e vamos dar um passeio. Depois, temos umas mini-férias já planeadas para Abril, e depois do casamento, provavelmente começaremos a Lua de Mel nela, onde ela nos levar.
Sou doida? Talvez... mas estou tão, tão, tão feliz.
A minha primeira chamada por Skype com o Miguel depois de ter tratado de tudo foi feita aos pulinhos, tanto ele como eu. De repente, estamos mil vezes mais entusiasmados com isto que com o casamento em si. É muito mau? Ainda não temos local, nem roupas, nem decoração, nada. Mas comprámos uma carrinha de impulso e já criámos um Board no Pinterest com ideias para lhe aplicarmos. Oh paaah. Sinto-me uma pessoa completamente descompensada. Mas mais uma vez... estamos tão felizes! E a carrinha tem energias tão bonitas, memórias tão boas.
É a nossa primeira compra de casados... err... sem estarmos casados.
Que compras de impulso é que já fizeram vocês?
Love, Lu*

When I wrote you this post, I was far from guessing that something like this would happen to us.
Ok, I'll go straight to the point: We bought a We Hate Tourism Tours van. MY-FAVOURITE-VAN. The one I've always loved driving during my tours.
It was an impulsive buy, but something we had been thinking about since ever we started dating.
We wanted a van that we could call our second home, to just leave anywhere, and be able to bring our kitties along.
So a week ago, when I went to pick my car at the garage where the vans are also fixed and checked up, while talking to one of the WHTT owners, he mentioned he wanted to sell the yellow van.
I thought... "The... yellow van? My... favourite van? The one where I've had so many lovely stories in, while showing my tourists around Lisbon and Sintra?"
I told him: "Don't do anything until lunch time. I think that van will be ours!"
He answered: "Aninhas, if the van stayed within the family, we would be more than happy!"
I texted Miguel: "Yellow WHTT van, for sale, for this price. Can I do it?"
He answered instantly: "That baby is ours!"
Today I signed the papers, and we now own a 9 pax van. With her, I'll go pick up Miguel at the airport in a few days (I am missing him SO MUCH), and we'll make a small trip. Then, we have to plan our first part of the honey moon in it. And just go to where she'll take us.
Am I crazy? Maybe... but I'm so and so happy right now.
Our first call on Skype after purchasing it was so funny, and we were both jumping up and down. I believe we are more excited with this than with the wedding. Is it ok? Are we normal? We don't have anything ready for the wedding yet. No venue, no clothes, no decor... but we bought a van, and started a board on Pinterest that day, with plans for the van.
I feel like we've gone completely crazy, but yet again, we are so freaking happy. This van has such good vibes and memories, such good energies...
This is our first purchase as a couple... 
Have you ever done an impulsive buy like this?
Love, Lu*

Two Boots Pizza - NYC - Sex and The City Tour part II

A tour do Sex and The City foi mesmo das experiências mais giras que já tive em Nova Iorque... ok, tirando o facto de que fiquei noiva em Nova Iorque e que isso bate todas as experiências que já tive em Nova Iorque, esta tour foi das coisas mais divertidas que lá fiz.
Uma das paragens, e a que acabou por ser a do nosso almoço, aconteceu no Two Boots Pizza, a pizzaria Nova Iorquina onde a Miranda diz à Carrie "Now this is real food", depois de passarem fominha no restaurante de Raw Food com a Samantha quando ela estava a tentar apanhar Smith Jerrod. Ando à procura de um clip disto no youtube, mas hoje não estou MESMO a conseguir encontrar.
As pizzas do Two Boots são literalmente das melhores da minha vida, logo depois das do Flat Bread.

Eu comi uma pizza vegan neste dia com as minhas companheiras de viagem. Foi absolutamente deliciosa. Uns dias mais tarde, quando o Miguel se juntou a mim na Grande Maçã, tive de o levar lá, e neste dia sim, fizemos um mega banquete. Saímos do Two Boots a rebolar. Literalmente.

O espaço em si está decorado com peças de arte de vários artistas. É um estabelecimento com muito carisma, e onde estão constantemente a entrar e a sair pessoas. Pensando que Nova Iorque é uma cidade cara, passar por aqui durante o tempo de almoço é uma optima opção. Existem pizzas para todos os gostos, das gordurosas às mais saudáveis, e o preço fica bastante em conta. Com duas fatias, já se fica muito bem. Nem vos digo quantas comemos! ahahhahaha!
Aqui está o vídeo de apresentação da cadeia de pizzarias:




Ao saírem do Two Boots, estão em Greenwich Village. O meu bairro preferido em Nova Iorque. Não há nada como deixar andar até nos perdemos em cada rua. Muito artístico, cheio de música, lojas e bares. Juro que se tivesse dinheiro para comprar uma casa em qualquer parte desta cidade seria aqui.
Love, Lu*

PS: Passámos também pelo Sushi Samba! Lembram-se da maravilhosa cena "Dirty Martini? Dirty Bastard!". Grande mulher. Se sabem do que estou a falar, e do momento que levou a isto. You are awesome.





The Sex and The City tour was really one of the most fun experiences I've had in NYC... ok, apart from the fact that I got engaged in NYC and that was the most amazing experience I've ever had in NYC, this tour was really great.
One of the stops, that actually ended up as being our lunch stop, happened at Two Boots Pizza, where in the series, Miranda tells Carrie "Now that's real food" after almost starving at the raws food spot where Smith Jerrod worked. I've been trying to find a clip of it on youtube, but it's kinda hard.
The Two boots Pizzas are some of the best I've ever had in my life... right after Flat Bread.
I had a vegan pizza on this day with my travel buddies. It was absolutely delicious. A few days later, when Miguel joined me in Manhattan, I took him there and we had a feast. We came out of the place rolling. Literally.
Two boots is decorated with alternative pieces of art everywhere, the star is really nice, and its just filled with carisma. It is also a good option if you want to have a quick bite during lunch time. Its affordable and with so many options, from the greasy stuff to sth more healthy.
Above you can see the presentation video.
Leaving Two Boots, the location where we were, you have The Village at your feet. My fav neighbourhood in NYC. If by any chance I was offered the opportunity to live there, and had a huge amount of money. Yep. That would be right it.
Love, Lu*

PS: We also passed by Sushi Samba. The place from the scene "Dirty Martini? Dirty Bastard!". Do you remember the happenings? Then you are awesome.

The Sex and the City Tour - NYC

Não sei se vos contei isto, mas aquando da nossa viagem a Nova Iorque no ano passado fiz a tour do Sexo e a Cidade!
Hoje venho contar-vos um bocadinho da experiência, que foi muito muito MUITO positiva! Na verdade, até para os homens que estavam no autocarro e que foram obrigados pelas mulheres e namoradas! Eu não levei o Miguel, claro, achei que seria bem mais divertido (desculpa babyyy!) fazer isto com "gajas", e que já tivessem não só visto a série, mas que gostassem tanto dela como eu.
No final, ele teria gostado, porque a viagem percorre NY inteira. É mesmo muito completa... mas ainda assim, nada como fazer isto com amigas.
As minhas companheiras de viagem foram a Marta e a Rafa, e foi bem cedinho, de manhã, que apanhámos o autocarro que nos ia levar a passear por Manhattan e pelos locais mais icónicos da série da HBO.
Chegámos atrasadas (claro), mas ainda assim fomos recebidas com um grande sorriso pela Sasha, a nossa driver. Senti logo uma empatia gigante por ela, sendo que também faço as tours da We Hate, no entanto, num excelente dia, eu faço a tour para 8 pessoas... ela, para umas 50!


O passeio foi muito giro. Em cada bocadinho de tour, vimos um pequeno clip da série e logo depois passamos no mesmo local onde tudo foi filmado. Foi giro responder às questões de trivia que a Sasha nos lançava no autocarro e foi ainda mais incrível perceber que a Rafa era quem tinha o maior conhecimento geral da série, entre todos os passageiros.
As paragens foram a minha parte preferida. Estas primeiras fotos de hoje, aconteceram no Buda Khan, onde a Carrie e o Mr. Big tiveram o rehearsal dinner no dia antes do casamento (no filme 1).
O espaço é lindo de morrer. As cores, a sala com a mesa corrida... Tal e qual como no filme.

Fizemos outras paragens no Two Boots pizza (onde a Miranda diz que aquilo sim é comida a sério) e sobre o qual vem outro post a caminho em breve, na loja de brinquedos sexuais onde as miúdas compraram o "rabitt", fomos à Magnolia bakery (outro post em breve!), ao Scout (o bar do Steve e do Aidan) beber cosmos e as próximas fotos abaixo aconteceram na rua da Carrie. É claro que fomos ver a porta onde tudo aconteceu. No entanto, não é um local assim tão feliz. Ao que parece, devido à quantidade de malucos que visitam a morada (onde nós nos incluímos naquele dia), para além da corrente que diz "não ultrapassar", os moradores são mesmo muito mal humorados. Por vezes nem conseguem entrar em casa devido ao número de pessoas que ali param para tirar fotografias. Tenho mesmo muita pena deles, os coitadinhos que vão estar a nadar em dinheiro quando quiserem vender alguma das casas. hahaha!


Mais pormenores da tour em posts que estão para vir!
Alguém mais desse lado que já a tenha feito? Gostaram?
Lembrem-me de vos contar um dia a história bizarra da galeria de arte da Charlotte, e o porque é que deixaram de lá gravar episódios. Na história, ele despediu-se para ser esposa do Trey, e ajudar a encontrar a cura para o cancro... a realidade do porquê de deixarem de usar o décor é muito muito divertida!
Ah! A minha gabardine que eu ADORO e que nunca pensei que um dia usaria é da Kling, e há mais destas no A Showroom da LX Factory!
Love, Lu*

Fotos // Photos: Marta José
Gorro // Beanie: Zara
Gabardine // Trench: Kling, A Showrroom
Leggins: Zara
Sapatos // Shoes: Clarks
Mala // Bag: Kelly Moore

I don't recall if I've told you this before, but I did the Sex and the City tour last year while we were in New York.
So today I'll be telling you a little bit about the experience, which was actually a LOT of fun! And this is not just me saying... even the guys who were forced to go with their girlfriends had a great time. I didn't bring Miguel along, though... I thought this would be a lot more fun with the gals (sorry babyyyy!).
So Marta and Rafa were my travelling buddies, and we took the SATC bus really early in the morning. We arrived late (as always), but Sasha, our guide was super sweet and fun.
I instantly felt a connection with her since I do the tours on We Hate, but I drive 8 people around Lisbon... we were about 50 in the bus!
The tour was so much fun. On each step of the way we would watch a clip from the series and then see the place where the shooting had taken place. If was fun to answer to the trivia, and amazing to find out that Rafa was the one with more SATC knowledge!
The stops were my fav part. The first pics on this post were taken at Buda Khan, where Carrie and Big had their rehearsal dinner a day before the wedding (on film 1). The place is to die for. The colours, the big room, the long table where they sat... just like in the film.
We did other stops like the Two Boots pizza, where Miranda says "that is good food", at the sex shop where Charlotte bought the "rabbit", we went to Magnolia Bakery, Scout (the O'Neils bar owned by Steve and Aidan) for a few Cosmos, and of course, to Carrie's street.
So the last pictures are from that moment. It was so interesting to see the door of the building. But from what I understood, the owners and the neighbours don't really like the attention. I get it, tourists all the time (me included), but they are sure gonna like the money they'll get once they sell one of the apartments!
More details from the tour really soon!
Have you ever done it? Did u like it?
Remind me to tell you the story of Charlotte's gallery. In the series, she quits to be a wife, and help Trey cure cancer. But what led to not filming at the gallery in real life sure is a fun story.
Oh! and my trench coat that I love is from Kling. And you can get it at A Showroom in Lisbon, at the LX Factory.
Love, Lu*