Porque me tornei vegetariana // Why I became a vegetarian


Aos poucos e poucos tenho vindo a deixar escapar nas redes sociais que me tornei vegetariana. Essa escolha, para minha surpresa, tem suscitado algum interesse pela parte de amigos e amigos leitores do blogue e até alguma indignação por parte de outros.
Hoje decidi que estava finalmente pronta para falar sobre o assunto. Quero, antes de mais, dizer-vos que não estou aqui a tentar convencer ninguém, ou converter ninguém, ou a atacar ninguém.
Trata-se de uma decisão na minha vida que tem uma importância muito grande na minha forma de estar no mundo e com o mundo. É parte de como me sinto hoje e das coisas que me fazem sentido. Um nova filosofia que me faz extremamente feliz e de consciência menos pesada.
O tema do vegetarianismo é sempre controverso, e se não gostam de vegetarianos ou não acreditam no vegetarianismo, parem de ler o post agora, não percam o vosso tempo, e poupem-me aos comentários de ataque lá em baixo. O Doce para o meu Doce é um blogue feliz, não se esqueçam.

A habituação foi feita de forma gradual. Cheguei, em Agosto do ano passado, a um ponto na minha vida em que olhei à minha volta e a carne simplesmente deixara de me fazer sentido. Especialmente por motivos de saúde. Não percebia porque é que ainda a tinha na minha dieta diária, se o peixe me satisfazia completamente.
Depois de estar já alguns anos sem comer carne vermelha, foi então no final de Agosto, depois das férias de verão que decidi testar, e largar a carne (branca) por completo. Ver como me sentia, se me fazia falta.
Os resultados foram imediatos. Senti-me muito mais saudável, menos mal disposta, e era muito mais difícil chatearem-me por razão nenhuma. Descobri até, que não sentia falta. Não tinha saudades e não desejava comer carne.

Em meados de Novembro, vi o documentário que tem estado a fazer mudar a vida de tanta gente, a chocar o mundo e a criar uma guerra entre duas formas de estar opostas, entre vegetarianos/vegans e não vegetarianos: o Cowspiracy.
Eu, que sentia que ao ser "pescatarian" (pessoas que comem peixe + dieta diária de base vegetal) me sentia de bem com o mundo, fui confrontada com toda uma variedade de informação que me fez um novo sentido.
Sim, o documentário é muito americanizado, e tem todos os seus defeitos que reconheço bem... mas que me fez todo o sentido. Não vale a pena estar aqui a descrever. Vejam-no e tirem as vossas conclusões. Será giro até se quiserem debater sobre o assunto nos comentários abaixo.

Decidi esperar pelo Natal. Não comi o borrego, o perú e todas essas coisas, mas comi o bacalhau, em jeito de despedida para com o meu lado carnívoro.
Assim, a 26 de Dezembro, acordei com uma motivação nova, uma nova filosofia de vida, e sentia-me capaz, apesar de ainda ter MUITO para aprender.

Começo por vos falar da minha motivação em relação à saúde:
- Não existe nutriente que não possa ser encontrado numa dieta à base de plantas;
- Gordura. A comida animal tem mais gordura que qualquer comida de base vegetal;
- Existem mais parasitas na comida animal que na vegetal;
- A comida vegetal dura mais tempo que a comida animal;
- Comer carne aumenta o risco de doenças do coração e outras (também já estamos a poupar nas idas ao médico!);
- Obesidade, está mais do que comprovado que quem come carne tem mais tendência a estar acima do peso do que numa alimentação de base vegetal;
- Como ponto extra, gosto de ver o meu frigorífico mais parecido com uma horta do que com um matadouro.


O planeta Terra também tem muito a ganhar se mudarmos os nossos hábitos alimentares para melhor. E aqui não estou a falar de se tornarem vegetarianos, mas sim, por exemplo, reduzindo a quantidade de peixe e de carne que comem semanalmente.
- Diariamente são desflorestados kilómetros de floresta para a criação de plantações de alimento dos animais de consumo. A Floresta Amazónica, por exemplo, é grandemente afectada, e é o pulmão da Terra. Ao não contribuir para o crescimento da indústria da carne, reduzo a necessidade de desflorestação.
- Está mais do que provado que os peidinhos (não acredito que escrevi peidinhos no meu blogue) dos animais criados para a indústria alimentar são uma das maiores causas do crescimento do buraco de ozono.
- É preciso muito mais água para produzir proteína animal que para proteína vegetal...


Ora vamos ao tema das finanças. Antes de mais, descobri que o meu casamento fica muito, mas MUITO mais barato tendo um jantar vegetariano que com carne e peixe. A isto acresce o facto de tanto eu como o Miguel darmos valor ao facto de não terem de morrer animais para que possamos ter a nossa festa.
No geral, uma dieta alimentar vegetariana é estrondosamente mais barata.


Por fim, eticamente, eu amo animais. Faz-me sentir mais feliz comigo e com o mundo o facto de eu não os comer. Deixei de ver os meus gatos como um animal que não se come e um coelho como um animal que se come. Passei a ver todos os animais da mesma forma. São todos inteligentes, reconhecem-nos, gostam de mimos, e têm medo de morrer.
Sou contra os maus tratos dos animais nas quintas que têm esse propósito, e também sou contra a prática que se diz honesta porque os "animais têm uma vida feliz a pastar nos campos verdes". Todos eles gostam de viver. Todos têm medo de morrer, todos sentem dor e sofrem no momento da morte para nosso prazer. Tal como os que crescem em quintas. Acredito na não violência. Não só para com as pessoas, mas para com os animais.
Lá está, não quero com isto atacar ninguém nem dizer que sou melhor que os outros. Estou apenas a dar as minhas razões, e mostrar porque é que agora sim tenho a consciência limpa.
Todos os meus amigos comem carne. A minha família come carne. Isso não faz deles más pessoas. É a sua opção, e eu tenho a minha. Acredito nela com todas as minhas forças, e não encontro uma única BOA razão para não ser vegetariana. Sou alvo de muitas tentativas, gracinhas, e até filosofias como a dos sentimentos das plantas que me é sempre atirada à cara como forma de desvirtuar a forma como agora vivo. Lá está, continuo à espera de uma boa razão, e o facto é que ela não existe. Ao optar por ser vegetariana, estou não só a cuidar de mim, como dos animais, como a zelar pelo planeta onde vivo. É uma filosofia 360.
Isto conta também para outros assuntos, como o da pele do animal na moda, ou até na maquilhagem. Desde que me tornei vegetariana que comecei a interessar-me por ver que produtos é que usava que eram testados em animais. Apaixonei-me MUITO pela marca Lime Crime. Não sei se conhecem, mas é maquilhagem linda que é vegan. Um dia fiz este post a usar o batom azul! hahaha. Mas existem cores mais comuns.


Podem também, ao olhar para as receitas do blogue questionar-me sobre o que lá está. Não vou apagar as receitas não vegetarianas. Fazem parte da minha história, de quem fui, e muitas trazem-me boas memórias de partilha, como o dia em que a minha avó me ensinou a cozinhar. Ainda não sei tudo, e tenho um caminho muito longo a percorrer. Neste novo estilo de vida, ainda balanço muito na corda, e cada dia é dia de aprendizagem. Aprendo e conheço novos ingredientes que substituem a carne e o peixe, aprendo a misturar, aprendo a temperar (estou a adorar! Nunca me diverti tanto na cozinha.) Vou fazendo análises e vou começar a consultar uma nutricionista vegetariana que me vai levar a bom porto naquilo que é o que acredito. Chegará o dia em que me vou sentir capaz e segura para partilhar convosco receitas bonitas e saudáveis... para já, ainda não sou capaz, para além dos doces.

Ao mesmo tempo, quero deixar claro que apesar daquilo em que acredito, respeito tudo e todos, as suas opções e aquilo em que acreditam. Hoje deixei-vos as minhas.
As fotografias que vêem no post de hoje foram feitas em New England nos Estados Unidos, no ano passado aquando da nossa visita à feira Applecrest, na altura do Halloween! Foi um dia em cheio, recheado de tradições e onde tudo era apetitoso e muito cheiroso. Comemos donuts de abóbora, bebemos sidra e ouvimos música. Também passei um dia maravilhoso com a minha família americana. Amo-os com todas as minhas forças (e eles nem são vegetarianos, vêem? hahaha).
A Marta, claro, foi a responsável pela minha style shoot preferida de todo o sempre... ela nunca me falha e faz-me sentir sempre como uma princesa. Os detalhes do look vão abaixo!
Espero que a semana esteja a ser maravilhosa!
Love, Lu*


Malha // Jersey: Zara
Vestido // Dress: A Showroom, Peppa Loves
Meias // Tights: Calzedonia
Sapatos // Shoes: Sofia Costa Shoes
Mala mocho // Owl bag: A Showroom, Peppa Loves
Óculos // Shades: Fendi - Jorge Oculista
Acessórios // Accessories: Stradivarius

Little by litre I've let escape bits of information that confirmed that I am now a vegetarian. This choice, for my surprise, has been generating interest on my friends and on my friend readers, as well as indignation on others.
Today I felt like I was finally ready to tell you the "why". First of all, this is not me trying to convince or convert anyone, or me attacking anyone. This blog post is about my decision in life and how important it became to me, how much it makes me happy and gives me a clean conscience.
The vegan/vegetarianism subject always generates controversy. So if you don't like vegetarians, what vegetarians stand for and what they do, stop reading this post now. Do not waste your time and spare me on the haters comments down bellow. Doce para o meu Doce blog is a happy place. Don't forget about that.
The habit happened in a gradual way. I realised, last August, that meat didn't make sense to me anymore. I didn't understand why I still had it in my diet, since fish was more than enough to satisfy me.
So after a few years after not eating red meat, it was that August that I quit all meat, and tried to see how I felt about it.
The results were immediate. I started losing weight, I felt so much healthier, and less angry. I didn't miss meat and I never had any cravings.
Around November 2014, I saw the documentary that has been generating so much controversy all around: The Cowspiracy one.
I felt at that time, that being a pescatarian was more than enough, but after watching it, I realised there was so much more. I couldn't eat anymore fish. (Just watch the doc, and we can even talk about it bellow on the comments!) This information made so much sense to me, even though, as a story-teller and filmmaker I don't like the way it was made.
I decided to wait for Christmas. I didn't eat the meat, but I said goodbye to fish with my moms special Cod. On December 26th, I woke up with a new life philosophy, I felt capable of doing it, even though there was so much to learn.
I'll let you know, first things first, my health reasons for having become a vegetarian:
- There isn't any nutrient that can't be found on a plant-based diet;
- Animal fat is worst than veg fat;
- There are more parasites in animal food than in veg food;
- Veg food lasts more time than animal food;
- Animal food rises the risk of heart disease and other diseases (being a veg also saves time going to the doctor! haha);
- It is more than proved that eating animals leads to obesity and a plant-based diet doesn't;
- As an extra point, I love seeing my fridge looking like a garden and not like a slaughter house. Even the word slaughter gives me the goose-bumps.

Our planet also wins if we change our diet habits to the better. And here, I am not saying that you should become a vegetarian, but for your health, you could just reduce on the amount of meat and fish you eat every week, and you could be helping the planet a lot already.
- Daily, miles and miles of forests are thrown down to plant crops for feeding the meat industry. The Amazon forest is one of the biggest targets and it is the lungs of the planet. By not eating meat, or reducing the amount, I reduce the need of deforestation.
- It is more than proved that animal farts (I can't believe I wrote farts on my blog) breed for the animal industry are a large contributor for the ozone layer to get destroyed.
- It is needed much more water to produce animal protein than for veg protein.

Financially speaking, a plant-based diet is far less expensive than an animal-based diet. I can tell by the budgets we've been receiving for our wedding that we want to have as Cruelty-free: With meat and fish, the menu goes from 75€ to 100€ per person, and vegetarian, around 16.90€ to 25€.

And in the end, ethically, I love animals. And it makes me feel so much better with myself that I don't eat them. I stopped seeing my cats as non-eatable beings and a bunny as food. They are all the same. They are all smart, they can be kind and they are afraid of dying just like us.
I am against farming animals and I don't believe in "honest" meat that grows happily in the green fields. Because all animals suffer, scream and are afraid of losing their lives in the end. I believe in non-violence, not just for people, but for all beings.
And here, I am not attacking anyone, I am not saying I'm better than others. I am just giving you my reasons. All my friends eat meat, my family eats meat. It doesn't make them bad people. It is their option, its what they grew up doing and see as right. If they come to the point where they realize they want to reduce on animal consumption or even become vegetarians, they will have all my support, but I will not be a pain in the butt convincing them to do it. I believe the will to become a vegetarian or vegan has to come from within, not as a forced thing. That only generates hate towards the veg philosophy and not wanting to see facts.
I believe in my life's choice with all my strengths, and I never had anyone telling me what to do or how I should do it. And I liked it. Right now, I can't find a GOOD reason for NOT being a vegetarian. I am targeted with loads of jokes and theories to tear me down, but I just opt to ignore them. Most of the people who make fun are not well informed and don't respect other peoples choices. I am not going to waist my time. I believe in me and in my reasons, and thats all I need.
I believe that by being a vegetarian I am helping myself, animals and the planet.
And this also counts for wearing fur and leather and make up and etc.
Since I became a vegetarian I've been going to all the brands I use and try to see if they test in animals. Doing my search I absolutely fell in love with Lime Crime make up. It is beautiful, and totally vegan.
I even made this post a few months ago. But don't get scared, they have other colours.
I might also, in the future be criticised by the food posts I have on the blog. I will not erase the meat and fish recipes. They are a part of who I am and was, and some of them even bring me beautiful memories, like when my grandmother taught me how to cook and the wonderful time we used to spend in the kitchen.
I still don't know it all, and I have a long way to go. I am still balancing on learning about new ingredients, how to combine them and on how to substitute protein in a healthy way.
I will also start seing a veg nutritionist, hoping he/she will guide me on this new path.
I don't feel yet capable of sharing recipes with you until I am brave enough. I will keep on sharing sweets and deserts, though. :)
The pictures you see here were taken in New England, on our last USA trip last year. We visited the Applecrest farm and event by Halloween time and I loved every bit of it. It was such an amazing day. We had apple sider, pumpkin donuts and listened to live music. I had a great time with my american part of the family too. I love them so much (and they are not vegetarians, you see? hahaha).
Marta, of course, took the pictures. She has this gift for making me feel so pretty.
The look details are above!
Hope you are having a magical week.
Love, Lu*

"Mais novos do que nunca" - Radio Interview



O Pedro Rolo Duarte tem o dom de entrevistar como quem conversa naturalmente. Foi das melhores experiências de sempre... algo que nunca vou esquecer.
Para quem não ouviu a minha entrevista na Antena 3 e 1, para o "Mais Novos do que Nunca", fica aqui o link.
Espero gostem muito.
Love, Lu*

Pedro Rolo Duarte has the gift of interviewing as if we were just on a normal chat. This was one of the best experiences of my life... something I'll never forget.
If you didn't listen to my interview on Antena 3 and 1 for the "Younger than ever" show, here is the link. It is only in Portuguese, I am sorry.
If you do understand, I hope you love it.
Love, Lu*

MY SWEET RISOTTO RICE RECIPE

Há dias, em conversa com a Lu sobre isto de ser vegetariano, falámos acerca das possibilidades infinitas que a cozinha vegetariana proporciona. Como ela é variada, saborosa e também propensa para acrescentar alguns números na balança!
Nessa mesma conversa, entre outros pratos falámos de várias receitas de risoto e daí surgiu esta ideia de experimentar um arroz doce vegetariano ou um neste caso, um risotto doce vegetariano.

Para isso usei dois ingredientes base: o leite de arroz e o arroz carnaroli. Não usei ovos e por isso ficou branquinho. Esta parte não é novidade porque, assim como o arroz doce mais amarelo (com ovos), também o arroz doce branco é típico da gastronomia portuguesa, em alguns pontos do país.
Gosto de inventar e experimentar coisas novas na cozinha. É verdade que nem sempre calham bem, mas esta experiencia correu muito bem e foi bem aceite pelo júri cá de casa! Para guardar no livro de receitas e repetir mais vezes, com certeza!
Convém acentuar que o leite de arroz tem uma consistência aguada e que será importante ter uma alternativa para engrossar o creme, como podem ver abaixo na receita.
Diga-se que por aqui não somos vegetarianos. Mas não negamos um prato vegetariano bem confecionado assim como não negamos uma boa francesinha quando vamos ao Porto!! Mas apreciamos algumas alternativas ao normal e variar o cardápio nunca fez mal a ninguém.

Ingredientes:
1 chávena de arroz risoto carnaroli
1 pitada de sal
1 1/2 chávena de água
0,5 l de leite de arroz
1 pau de canela
Casca de limão
1/3 chávena de açúcar
1 colher de chá de amido de milho
1 colher chá de creme vegetal para culinária
Canela em pó q.b.

Coze o arroz na água a ferver e temperada com uma pitada de sal.
Entretanto ferve o leite, juntamente com a casca de limão, o pau de canela e o açúcar.
Quando o arroz estiver praticamente cozido e a água evaporada, junta a noz de creme vegetal para culinária. Mexe bem e junta pouco a pouco o leite fervido ao preparado de arroz, mexendo sempre. Não se deve juntar o açúcar antes do arroz estar cozido, porque faz com que pare de cozer.
Como o leite de arroz é mais aguado que o leite normal, o meu truque para engrossar foi usar uma colher de chá de amido de milho, dissolvida num pouco do preparado de leite e juntar ao preparado de arroz.
Ao evaporar o leite começa a criar um creme ao redor do tacho e o arroz começa a ficar como uma consistência cremosa.
Quando estiver com a consistência desejada, tendo em conta que incorpora mais depois de frio, desliga o lume e coloca nas taças retirando o pau de canela e as cascas do limão.
Decora com canela a gosto. Também fica ótimo, depois de frio com fruta fresca: morangos ou manga.


Experimenta esta receita e partilha nas redes sociais com #doceparaomeudocediy
Xoxo,
Fedra 
Autoria e Fotografia
- Facebook


A few days ago, in conversation with Lu about it being vegetarian, we talked about the infinite possibilities that vegetarian cuisine provides. How it is varied, tasty and also prone to add some numbers on the scale!
In that same conversation, we talked among other dishes of various risotto recipes and from that I came with the idea to try a vegetarian sweet rice or in this case a vegetarian sweet risotto.
For this I used two main ingredients: rice milk and carnaroli rice. I did not use eggs and that’s why it’s white. This is not new in Portuguese cuisine because, like the yellow sweet rice (with eggs), sweet white rice this is also a typical dessert of Portuguese cuisine in some parts of our country.
I like to create and try new things in the kitchen. It is true that sometimes I don’t get it right, but this experience went very well and was well accepted by the main jury! It’s a keeper, going straight to the recipe book and repeat other times, for sure!
It’s important to mention that rice milk has a watery consistency and it will be important to have a thickening agent, as you can see below in the recipe.
We are not vegetarians, around here. But do not deny a well-made vegetarian dish as we do not deny a good francesinha when we go to OPorto!! We enjoy some alternatives to everyday cuisine and some variety in the menu never hurts anyone.

Ingredients:
1 cup of rice risotto carnaroli
1 pinch of salt
1 1/2 cup of water and half
0.5 l rice milk
1 cinnamon stick
Lemon peel
1/3 cup of sugar
1 teaspoon corn starch
1 tablespoon vegetable cream for pastry
Cinnamon powder

Bake the rice in boiling water and season with a pinch of salt.
Meanwhile boil the milk along with lemon peel, cinnamon stick and sugar.
When the rice is almost cooked and the water almost evaporated, add the vegetable cream. Stir well and add little by little the boiled milk to the mixture of rice, stirring constantly. You should not add the sugar before the rice is cooked, because it makes stop baking.
As the rice milk is more watery than cow milk, to thicken my trick was to ad one teaspoon of corn starch, to the prepared rice. First dissolve the corn starch in a little of that boiled milk.
As it evaporates the milk begins to create a cream around the pot and the rice starts to get a creamy consistency.
Once you have the desired consistency, given that incorporates more after cold, turn off the heat and place in bowls removing the cinnamon stick and lemon peel.
Garnish with cinnamon to taste. Is also great cold with fresh fruit: strawberries or mango.
Try this recipe and share on social networks with #doceparaomeudocediy
Xoxo
Fedra
Author and Photographer

Masterchef Portugal começa amanhã!


Não vejo televisão... a não ser que seja o Masterchef. Foi uma das pequenas rotinas que eu e o Miguel ganhámos depois do jantar. É sintonizar no canal, deitar no sofá com uma mantinha, enroscar, e ver o programa.
Neste momento vou-me deliciando com a versão Australiana, mas depois de ontem ter visitado o estúdio onde decorre a nova edição do concurso em Portugal, fiquei com a sensação de que vai chegar um novo vício.
Ao que me pareceu, os concorrentes deste ano são os melhores de sempre das edições Portuguesas. Eu tive a sorte de ver alguns dos melhores e não vos conto nada de nada! O melhor de tudo é que o grande vencedor vai ganhar a oportunidade de fazer o catering do meu casamento. Ahahahha... estou a brincar. O Top 5 é que vai lá estar a fazer o catering para 120 pessoas. Ahahaha. Também estou a brincar, mas fica o desafio, Media Capital! Se quiserem meter os finalistas no meu casamento a fazer um catering bonito, estão completamente livres de invadir a cozinha. Ainda não arranjei quem cozinhe para nós!
Posso dizer-vos que ontem aprendi muitas coisas novas com a Masterclass a que assisti, e que a companhia divertida da Olga fizeram o meu dia. Obrigada Media Capital! ;)
Mas vocês podem também já ter o cheirinho amanhã, porque é quando começa a nova edição.
Love, Lu*
 

Spoiler alert! Eu sou a próxima concorrente do Masterchef.
-not.



O famoso relógio... :)

Eu e a Olga prontas para experimentarmos os pratos.

Posso levar uma de cada para casa?


 (Aproveitei para fazer umas comprinhas... hahaha! É tão giro ver as coisas desta perspectiva.)

 Juro que não saberia o que fazer com este vegetal. Nem sei o que é. Perdoem a minha ignorância. Mas este desafio mandava-me para casa.

Aqui estamos a ver a prova de eliminação dos que estão lá em baixo. É claro que nós somos tão boas chefs que já nos safámos e ficámos só a dar apoio moral.